Governo equatoriano espera êxito em recompra de bônus da dívida

Agência ANSA

QUITO - O ministro coordenador de Política Econômica do Equador, Diego Borja, disse nesta quarta-feira que há boas expectativas para a recompra dos bônus das famílias Global 2012 e 2030 de sua dívida externa, que devem ser adquiridos pelo Estado junto aos credores com um desconto mínimo de 70%.

Segundo ele, "várias ofertas" já foram feitas por detentores dos papéis que estão interessados em participar do leilão.

O próximo passo, explicou, será esperar as últimas manifestações, que devem se intensificar até sexta-feira (15), data em que se encerra o prazo definido para a apresentação de contrapropostas.

Borja ressaltou que, da maneira como foi conduzido, o processo oferece condições "extremamente favoráveis ao povo equatoriano".

Os bônus Global 2012 e 2030 equivalem a US$ 3,2 bilhões, um terço da dívida externa do país.

Seu pagamento foi suspenso depois que uma comissão de auditoria criada pelo presidente Rafael Correa encontrou irregularidades na composição dos valores. Por isso, o governo os considera ilegítimos.

Questionado por uma emissora de TV local sobre a disponibilidade de recursos para a recompra dos papéis, algo em torno de US$ 936 milhões, Borja garantiu que o governo está preparado.

- Temos o valor suficiente, que pode ser este, um pouco menos ou um pouco mais - explicou.

Nas últimas semanas, a ministra da Economia, María Elsa Viteri, empreendeu uma série de viagens internacionais com o propósito de se reunir com credores e detalhar a proposta do governo.