Fábio Porchat faz projeto para a Globo com Cláudio Torres

Fernanda Pereira Carneiro, JB Online

RIO - A necessidade de levar para a TV a leveza e a peculiaridade do stand-up comedy foi o combustível que levou o ator, diretor, produtor e dramaturgo Fábio Porchat a desenvolver um projeto para um novo programa na Globo. O humorista, que faz parte do time de redatores do Zorra total desde 2006, acaba de assinar um contrato de três anos com a emissora, unindo-se a Márcio Wilson e a Cláudio Torres Gonzaga, seu parceiro na peça Comédia em pé, para apresentar a ideia da nova atração logo depois do carnaval.

Vou continuar escrevendo para o Zorra total, mas agora pretendemos levar o stand-up comedy para a televisão, pontuando e costurando o novo programa com assuntos típicos do cotidiano, coisas corriqueiras que acontecem no dia a dia e que por isso mesmo todo mundo se identifica adianta Porchat.

Ainda estamos trabalhando as ideias, selecionando textos, elenco e redatores, mas este já é um ponto certo.

Formado pela CAL (Casa das Artes de Laranjeiras) e descoberto pelo diretor da Globo Maurício Sherman, assim como a atriz Katiuscia Canoro (intérprete da Lady Kate), a experiência fora dos palcos rendeu ótimos resultados além da atração global de sábado.

Impulsionado também pelo sucesso do programa De perto ninguém é normal, apresentado desde junho de 2008 no GNT. Nele descortina os bastidores de universos aparentemente normais e se insere no contexto de cada história para mostrar as esquisitices de cada um. Porchat pretende aproveitar a bagagem de suas diversas experiências e aplicá-la na nova empreitada.

O teatro permite que o ator fale o que quiser, tire sarro dos outros, há uma liberdade maior comenta.

A TV ainda é muito careta. É preciso se ligar mais, abrir mais a cabeça para as novidades, como a internet, que atrai um público de massa cada vez maior. O investimento em coisas antigas até funciona, o público gosta, mas faltam apostas na TV. Atualmente existe um grupo humorístico muito bom, e é necessário que se explore isso para diversificar o conteúdo apresentado. É por esse caminho que queremos seguir.

Apesar de as ideias estarem borbulhando na sua cabeça e da agenda lotada (Porchat ainda apresenta uma vez por semana o solo Fora do normal, em São Paulo, e dá aulas para atores e aspirantes a humoristas no Instituto do Ator, na Lapa, destrinchando os mecanismos existentes por trás do stand-up comedy), ainda sobra tempo para traçar novos planos.

Acho ótima a pluralidade que os diferentes meios oferecem diz.

Além do novo projeto na Globo, da oficina, do programa do GNT e do teatro, até o fim do ano vou atuar num filme que escrevi. Gosto muito de cinema e sinto a necessidade de caminhar pelos diversos espaços.