Show de Madonna é adiado na Argentina deixando fãs frustrados

Beatriz Tafner e Braulio Lorentz, Jornal do Brasil

RIO - A parte sul-americana da turnê Sticky & sweet começou com um gosto amargo para os argentinos. O primeiro show em Buenos Aires foi adiado de quarta-feira para quinta, fazendo com que reclamações se acumulassem nos sites dos jornais portenhos e centenas de pessoas dormissem em vão na porta do Estádio Monumental de Nuñez.

A cantora adiou a apresentação que faria nesta quarta-feira porque parte do equipamento, vindo da Cidade do México, não chegou a Buenos Aires a tempo. E azedou também a fome de Madonna dos brasileiros.

A produção da turnê confirmou que a gravação do DVD com o repertório do disco Hard candy não vai ser mais baseada nas apresentações brasileiras. São os shows na capital argentina que vão abastecer o DVD da loura de imagens.

No fim do ano passado, o trio inglês The Police tomou decisão semelhante: excluiu o Brasil dos planos e gravou Certifiable: live in Buenos Aires.

Ela continua querida aqui, não acho que terá qualquer tipo de rejeição arrisca Fernando García, um dos editores do Clarín, periódico de maior tiragem no país, em entrevista ao Jornal do Brasil.

O problema é que muitas pessoas vieram do interior para ver o show e por isso pode haver certo mal-estar, até porque os ingressos são bastante caros.

O show de sábado foi remarcado para segunda-feira, para que Madonna tivesse um dia de descanso. As apresentações de quinta e domingo não sofrem modificações. As mudanças deixam a agenda muito mais apertada.

A última apresentação portenha é na segunda; e na quarta há show marcado no Chile.

Em tese não tem nada a ver com os shows no Brasil sustenta Roberto Verta, gerente artístico da Time For Fun, empresa responsável pela vinda da material girl.

É um problema circunstancial, devido a uma escala no Panamá. Não nos afetará em nada.

Encontro com a presidente

Madonna chegou à Argentina na segunda-feira e se hospedou no La Mansion, com diária de R$ 32 mil. Na terça se encontrou com a presidente Cristina Kirchner e com a ex-refém das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) Ingrid Betancourt.

A cantora se apresenta no Rio nos dias 14 e 15, no Maracanã, e em São Paulo em 18, 20 e 21, no Morumbi. Ainda há ingressos para todas as apresentações brasileiras.