Países de língua portuguesa mostram sua cena teatral no Festlip

Hugo Cals, JB Online

RIO - Com a proposta de promover intercâmbio cultural entre os falantes da quinta língua mais falada no mundo, e a terceira mais falada no mundo ocidental, começa nesta quarta-feira no Rio a primeira edição do Festlip, festival de teatro da língua portuguesa. O evento, que vai de 4 a 15 de junho, reunirá dez companhias de teatro, duas de cada um dos cinco países participantes que têm o português como idioma oficial: Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique e Portugal.

Paralelamente às apresentações, marcadas para acontecer nos próximos dois finais de semana em teatros no Centro e em Copacabana, o festival ainda conta com festas no Circo Voador, degustação gastronômica na boate 00, mostra histórica no Sesc Copacabana (que conta às origens do teatro brasileiro, das casas de ópera do séc. XVIII até os dias atuais), palestras com profissionais do meio, oficinas teatrais para os atores do festival e aberto aos espectadores e uma leitura dramatizada do texto vencedor em 2007 do Prêmio Luso-Brasileiro de Dramaturgia Antônio José da Silva.

Marcado por interatividade, o festival dará aos espectadores a opção de votar em sua peça preferida e com isso eleger o grupo vencedor do festlip, que será anunciado na cerimônia de encerramento do festival, no domingo, dia 15.

O grupo pernambucano Tropa do Balaco Baco apresenta o primeiro espetáculo do festival, A paixão e a sina de Mateus e Catirina , no próximo dia 6. No mesmo dia também estréiam nos palcos do festival o grupo de Curitiba (o outro representante brasileiro) com a peça Capitu Memória Editada e o grupo Gungu, direto de Moçambique, com o espetáculo Mulheres com H Maiúsculo .

No sábado, dia 7, o primeiro espetáculo da noite fica por conta grupo Henrique Artes, de Angola, que traz a peça Côncavo e Convexo . Também estréiam no festival neste dia os grupos portugueses O Bando e o grupo da Garagem com os espetáculos Luto Clandestino e A hora do arco-íris , respectivamente.

No domingo, dia 8, diretamente de Cabo Verde, se apresentam o grupo teatral do Centro Cultural Português do Mindelo com o espetáculo O doido e morte , além do Grupo Raiz di Polon, com os espetáculos Duas sem três e Dom Quixote das Ilhas . Também na programação do dia está o grupo Etu-Lene, da Angola, com o espetáculo Atiraram o velho Katy-Ngotè para sua última morada . Na quinta-feira seguinte, dia 12, é a vez do Grupo Mutumbela Gogo, Moçambique, estreiar no festival com o espetáculo As filhas de Nora . Todas as peças serão reapresentadas em outros dias e horários para que os espectadores tenham a chance de assistir um maior número de espetáculos.

Com ingressos das peças a preços populares, e entrada franca para as outras atividades culturais o primeiro festival de teatro da língua portuguesa estima reunir um público de 12.000 pessoas e m 11 dias de evento. A programação completa do festival, com dias, horários, preços e locais, está disponível no site oficial do evento, https://www.talu.com.br/festlip.