Forte da Urca abre museu no local aonde a cidade foi fundada

Hugo Cals, JB Online

RIO - Sentir-se parte da história brasileira. Esse foi sentimento comum de todo o grupo que prestigiou a inauguração do museu histórico da Fortaleza de São João, nesta terça-feira dia 29, dentro do Forte da Urca, zona sul do Rio. Instalado no mesmo local em que no ano de 1565 o oficial português Estácio de Sá fundou a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, o museu leva o visitante a caminhar pela história de nosso país. A exposição estará aberta ao público a partir desta quarta-feira, dia 30, com funcionamento de 10h às 16h.

Além do sítio histórico que serviu de local para o museu, as belezas naturais que circundam o local fazem do passeio uma visita ainda mais agradável. O acesso se dá pelo Forte da Urca e de lá se pega uma van até o museu, localizado na fortaleza erguida por Estácio de Sá, entre os morros Cara de Cão de Pão de Açúcar. No trajeto o visitante pode contemplar as belas paisagens que formam a baía de Guanabara.

Em seguida, chega-se à mostra onde é possível acompanhar desde as condições que proporcionaram a descoberta do Brasil pelos portugueses, o cenário por eles aqui encontrado e a colonização, até a vinda da família Real para o Brasil, a independência do país em 1822, e o século XX, terminando na era contemporânea.

Apesar do tradicional uniforme verde-camuflado usado pelos militares que trabalham no local, os funcionários designados a receber os visitantes na mostra permanente vestem um uniforme bem diferente: azul, com detalhes dourados completo por um vistoso chapéu, ele é uma recriação do uniforme original usado pelo militares do local no século XVI.

Além de diversos painéis, compostos de textos informativos, ilustrações de diversas épocas, e reproduções de documentos antigos, a mostra também conta com instrumentos antigos, como canhões e carroças usadas para transporte de munição.

Também chamam a atenção os trabalhos da artista plástica Mazeredo, que recriou o Marco Histórico da Cidade do Rio de Janeiro, cujo original se encontra na igreja dos Capuchinhos, na Tijuca, e os bustos de Mem e Estácio de Sá, pai e filhos, colocados lado a lado na exposição, figuras fundamentais na história do Brasil. A mostra aberta a todos, com entrada franca, é uma chance de se conhecer a história da Cidade Maravilhosa aonde ela começou.