Velvet Revolver rompe com vocalista Scott Weiland

REUTERS

LOS ANGELES - Quatro membros fundadores da banda de rock Velvet Revolver anunciaram na terça-feira seu rompimento com o problemático vocalista do grupo, Scott Weiland, por causa de seu comportamento 'cada vez mais errático'.

O anúncio foi feito num comunicado da empresa que gerencia o grupo, no momento em que Weiland, 40 anos, e sua banda original recém-reunida, Stone Temple Pilots, se preparavam para anunciar na próxima semana os planos para uma turnê no meio do ano, que está gerando grandes expectativas.

A banda, também conhecida por sua sigla, STP, já confirmou algumas apresentações da turnê, começando pelo festival Rock on the Range, em Columbus, Ohio, em 17 e 18 de maio.

Para Scott Weiland, cuja carreira há anos é prejudicada por sua dependência de heroína, o Rock in the Range será seu primeiro show com o STP desde que a banda fez 13 apresentações para promover seu último álbum de inéditas, 'Shangri-La Dee Da', de 2001.

Após a dispersão do STP, Weiland tornou-se vocalista do Velvet Revolver, uma banda de rock grunge recentemente formada por três antigos integrantes do Guns N'Roses -- o guitarrista Slash, o baixista Duff McKagan e o baterista Matt Sorum --, além de outro guitarrista, Dave Kushner.

Desde o início, o Velvet Revolver precisou enfrentar os problemas de Weiland com as drogas e com a lei, fazendo malabarismos para coordenar shows, gravações em estúdios e as audiências de Weiland em tribunais e internações em clínicas de reabilitação.

No mês passado, Weiland se disse inocente da acusação de conduzir veículo sob a influência de drogas, decorrente de sua prisão numa via rápida de Los Angeles em novembro.

Ele se encontra em liberdade condicional sob fiança de 40 mil dólares e deve retornar ao tribunal para uma audiência preliminar na sexta-feira.

Uma briga pública entre Weiland e o baterista do Velvet Revolver já tinha gerado dúvidas quanto ao futuro da banda, antes do comunicado de terça-feira, lançado em nome de Sorum, Slash, McKagan e Kushner.

- Esta banda se dedica a seus fãs e sua música, e Scott Weiland não está 100 por cento engajado com nenhum deles - teria declarado Slash.

- Entre outras coisas, seu comportamento cada vez mais errático no palco e seus problemas pessoais nos obrigaram a seguir adiante sem ele.

Não houve reação imediata de Scott Weiland, do STP ou de seus representantes.