Madonna acusa opinião publica de "massacrar" Britney Spears

Agência EFE

LOS ANGELES - A artista americana Madonna acusa a sociedade de seu país de "infligir crueldade" à cantora Britney Spears, em entrevista publicada na revista "Vanity Fair" e retomada hoje pela publicação "US Magazine".

Na entrevista, a rainha do Pop qualifica "de muito dolorosa" a situação na qual se encontra atualmente a intérprete de "Oops!...I did it again".

- Quando se pensa no modo no qual as pessoas se tratam umas as outras na África - com bruxaria, ações cruéis e dolorosas -, tudo isto agora está acontecendo aqui - disse a cantora, que completará 50 anos em agosto.

- As pessoas estão tirando fotografias de outras pessoas quando estão dentro de suas casas, nos hospitais ou enquanto sofrem e as estão vendendo e conseguindo energia delas - acrescentou.

- Isto é uma terrível maneira de infligir crueldade. Portanto, quem é pior?", questiona Madonna em relação ao assédio midiático ao qual foi submetida Britney nos últimos meses.

Enquanto espera o lançamento de seu último álbum, "Hard Candy", em 29 de abril, a cantora admitiu também na entrevista que, quando estudava em Detroit (Michigan), "não se encaixava no grupo popular".

- Não era nem uma hippie nem uma ''stoner'(gíria que equivale a "maconheiro" em português), portanto acabei sendo um animal raro", revelou a diva, que indicou que, desde menina, já "tinha interesse no balé e na música clássica, e as crianças são bastante más se você é diferente".

No entanto, a intérprete de "Hung up" afirma que, em vez de sentir pena de si mesma, decidiu "enfatizar suas diferenças", o que "aumentou minha validação de superioridade".