Novo trabalho do R.E.M. permite reencontro com grandes compositores

Agência EFE

BERLIM - O líder do grupo R.E.M., Michael Stipe, acredita que seu novo disco, 'Accelerate', permitiu ao grupo se reencontrar 'como grandes compositores' assim como refletir sobre como conseguir que um disco 'não seja bom, mas magnífico'.

Stipe explicou hoje à Agência Efe em Berlim que 'Accelerate', um álbum com 11 faixas e 34 minutos de duração, reflete o 'ritmo frenético da vida atual', com um som ditado 'pelo próprio processo'

de criação já que foi gravado em apenas seis semanas entre Vancouver (Canadá), Dublin (Irlanda) e na cidade natal do cantor, Athens (Estados Unidos).

O R.E.M. rompe assim quatro anos de silêncio criativo, sem temas inéditos desde 'Around The Sun' (2004), com uma crítica radiográfica do século XXI, ao que suas letras definem como um adolescente um pouco perdido.

- Não está claro para mim o que representa este século - acrescentou Stipe.

"Accelerate' já gerou antes de seu lançamento uma grande busca na Internet, pois já foi posto há vários dias à disposição dos fãs incondicionais do grupo, através de portais como 'iLike', e seus videoclipes, também colocados na rede, permitem aos admiradores manipulá-los e editar suas próprias imagens.

- A tecnologia não é o inimigo. É uma ferramenta e devemos deixar que trabalhe em nosso benefício e não em nosso prejuízo - assegurou Mike Mills, de baixa do grupo, destacando que eles foram a primeira "grande banda' a 'derrubar esse muro' que os separava de seu público.

Mills defendeu a interação de forma cada vez mais estreita com o público e, na medida do possível, eliminar os intermediários que separam os músicos de seu público.

Os criadores de sucessos como 'Man on the moon' e 'Losing my religion' romperam uma nova barreira com este álbum, ao conciliar a gravação em Dublin com uma série de cinco concertos com seus próprios temas ainda inacabados.

- Estávamos completamente com medo de apresentar canções que só estavam escritas em três de quatro partes - explicou o cantor, para quem esse primeiro contato proporcionou 'um novo enfoque' sobre si mesmos.

Esses 'testes' ao vivo permitiram a eles identificar "imediatamente' quando um verso ou um acorde não funcionava, assim como envolver o público no processo de criação 'mais transparente'.

Sobre os projetos futuros da banda, o guitarrista, Peter , assegurou que 'Accelerate' "abriu uma porta' para uma grande viagem e a novos álbuns de qualidade.

Perguntados se eles se vêem fazendo shows dentro de 25 anos, ao estilo dos Rolling Stones, o guitarrista Peter Buck respondeu que então 'provavelmente esteja morto', mas acrescentou que espera "fazer muito boa música até então'.

Buck se mostrou reservado sobre o apoio da banda ao partido democrata nas próximas eleições americanas - o próprio Stipe exibiu recentemente uma camiseta em apoio a Barack Obama - e afirmou que a pré-campanha está funcionando muito bem sem eles.

O álbum número 14 do R.E.M. inclui temas potentes como 'Living well is the best revenge' e 'Accelerate', assim como canções mais melódicas como 'Hollow man' e outras mais próximas à eletrônica, como 'I'm gonna DJ', composta durante a criação de 'Around the sound', mas inédita até este trabalho.