Documentário brasileiro sobre globalização é destaque em festival

JB Online

MONTEVIDÉU - O documentário 'Encontro com Milton Santos ou o Mundo Global Visto do Lado de Cá', do diretor brasileiro Silvio Tendler, é um dos destaques do 26º Festival Cinematográfico Internacional do Uruguai.

O filme de Tendler mostra o fenômeno da globalização da perspectiva periférica defendida pelo geógrafo e pensador brasileiro, que viveu entre 1926 e 2001.

O cineasta explicou hoje que, de acordo com a visão do protagonista, a globalização se transformou em um ''globalitarismo', seqüestrado por um grupo de empresas' que não permitem o "desenvolvimento geral'.

As afirmações de Santos são 'muito duras, mas também muito otimistas', reconheceu Tendler.

O diretor explicou que o geógrafo 'defendia que estamos no momento de desenvolver um projeto verdadeiramente coletivo', porque "os primeiros ensaios do que será a humanidade' já estão ocorrendo.

Veículos de imprensa populares, cineastas que gravam em seus próprios bairros e histórias de vida e luta dos mais pobres são a base de um documentário que pode ser tido como um 'testamento' do pensador brasileiro.

"Eu gravava e ele falava o que queria', afirmou Tendler, que levou cinco anos para preencher com imagens as conversas com Santos, autor de livros como 'A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção' (1996).

"Un tigre de papel', do colombiano Luis Ospina; 'Haru nop Kochen', do japonês Hiroshi Toda, e 'Rahamin', do israelense Yaniv Amodai, são alguns dos filmes da seleção oficial do festival uruguaio que estréiam hoje.

Um total de 59 filmes do Brasil, Alemanha, Argentina, Canadá, China (incluindo Hong Kong), Chile, Colômbia, Cuba, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Islândia, Israel, Itália, Japão, Portugal, Reino Unido, Romênia e Turquia participam da 26ª edição do evento.

O israelense 'Aviva ahuvati', dirigido por Shemi Zarhin, e 'Dei yuk dai sup gau tsang', do diretor de Hong Kong Miu-suet Lai, são outros dois filmes em competição que estréiam hoje.

O 26º Festival Cinematográfico Internacional do Uruguai começou no sábado e termina no próximo dia 30. Durante esse período, o evento traz uma ampla oferta de longas-metragens, documentários e curtas-metragens.

O documentário brasileiro 'Andarilho', de Cao Guimarães, abrirá o festival contando a história de três vagabundos que perambulam pelo estado de Minas Gerais compartilhando passos e pensamentos.

Seis filmes de ficção representam o Brasil no evento uruguaio: "Estômago', de Marcos Jorge; 'A Via Láctea', de Lina Chamie; "Conceição: Autor Bom É Autor Morto', de Daniel Caetano, André Sampaio, Guilherme Sarmiento, Samantha Ribeiro e Cynthia Sims; 'O Grão', de Petrus Cariry; 'Valsa para Bruno Stein', de Paulo Nascimento; e 'Quer saber?', de Paulo de Tarso Disca.

Além de 'Andarilho' e de 'Encontro

com Milton Santos ou o Mundo Global Visto do Lado de Cá', outros três documentários brasileiros marcam presença no festival: 'A Dança da Vida', de Juan Zapata; "Diário de Sintra', de Paula Gaitán; e 'Margem', de Maya Da-Rin.