Escritor francês Gracq morre aos 97 anos

REUTERS

PARIS - Julien Gracq, escritor francês conhecido pelo surrealismo e por ter renegado o maior prêmio de literatura do país, morreu no sábado aos 97 anos.

Gracq, considerado um dos maiores escritores da França do século 20, passou a maior parte da vida isolado numa pequena vila do país, onde nasceu.

Romancista, poeta, autor de dramas e crítico, Gracq chocou a França ao recusar o prêmio Goncourt em 1951.

O primeiro-ministro do país, François Fillon, afirmou no domingo que com a morte de Gracq 'perdemos um homem discreto, uma mente independente, uma figura de liderança da literatura francesa contemporânea'.

O presidente Nicolas Sarkozy classificou Gracq, autor de 18 trabalhos, como um dos principais escritores franceses do século 20.