Após protestos, Gwen Stefani cobre o corpo em show na Malásia

Portal Terra

KUALA LUMPUR - A cantora americana Gwen Stefani cumpriu o código de vestuário imposto pela Justiça malaia e mudou seu figurino durante apresentação de quase duas horas, nessa terça-feira, em Kuala Lumpur, capital da Malásia.

Gwen cobriu seus tops apertados com jaquetas e botou colants sob suas saias e minissaias.

A visita da cantora à Malásia foi precedida de protestos contra suas vestimentas, consideradas demasiadamente obscenas pela União Nacional de Estudantes Malaios Muçulmanos. Seu representante, Mohamad Hilmi, tinha acusado a cantora de contribuir para a promoção da "decadência moral".

Em resposta, Gwen Stefani vestiu-se. O código de vestuário local para artistas estrangeiros define que é obrigatório cobrir o corpo desde o peito até aos joelhos, incluindo os ombros. Foi o que a cantora fez, sobrepondo várias peças de roupa.

Segundo a agência de notícias France Presse, Gwen aproveitou o concerto para estreitar laços com os malaios: "sou praticamente malaia", disse, aludindo ao fato de o marido Gavin Rossdale ter familiares em Kuala Lumpur. Ela acenou, ainda, com uma bandeira em miniatura do país.

Ela cantou para cerca de dez mil pessoas, horas depois de ter dito a uma revista local que, em vinte anos trabalhando na indústria musical, nunca teve de lidar com algo assim, considerando-se "mal-interpretada".