Votos em novas maravilhas do mundo já passam de 60 milhões

REUTERS

LISBOA - Mais de 60 milhões de pessoas votaram até agora para escolher as novas sete maravilhas do mundo, em uma das maiores pesquisas mundiais já realizadas.

Com pouco mais de duas semanas para o anúncio do resultado, Tia Viering, porta-voz da campanha As Novas 7 Maravilhas do Mundo, disse nesta quarta-feira que 'somos agora um dos sites mais procurados do mundo'.

O orgulho nacional é um forte elemento para a popularidade do concurso, segundo ela.

Políticos aproveitaram a oportunidade para promover seus monumentos nacionais com a esperança de melhorar a imagem de seus países e incentivar o turismo.

O presidente Lula chegou a abraçar a estátua do Cristo Redentor, um dos candidatos a nova maravilha, depois de usar seu programa semanal no rádio para passar instruções de como votar no monumento.

O governo do Peru incentivou a população a votar pelas ruínas da cidade inca de Machu Picchu e forneceu terminais de computador gratuitos. No México, latas de Coca-Cola trazem propagandas pedindo o voto pelas ruínas maias de Chichen Itza.

Estudantes em algumas escolas e universidades da China fazem campanha pela Grande Muralha. E na Jordânia, a família real faz lobby pela cidade de Petra, no deserto.

Entre os locais favoritos até agora estão o Taj Mahal, na Índia, o Coliseu de Roma, a Torre Eiffel de Paris e as misteriosas estátuas de pedra da Ilha de Páscoa.

A organização que conduz a pesquisa foi estabelecida pelo aventureiro suíço-canadense Bernard Weber. Os resultados serão anunciados no Estádio da Luz, do Benfica, em Portugal, no dia 7 de julho.