Longa 'Princesas' mostra cotidiano de prostitutas de Madrid

Hugo Cals, Agência JB

RIO - Longa-espanhol "Princesas" mostra o duro cotidiano das prostitutas de Madrid

Apesar de ser uma produção de 2005, o longa espanhol "Princesas" chegou recentemente aos cinemas brasileiros. Locado na bela Madrid, o filme traz uma visão diferente do já muito abordado tema do universo da prostituição. Temas como o amor idealizado, xenofobia e a relação familiar são alguns dos pontos abordados pelo diretor Fernando Léon de Aranoa para traçar sua narrativa. Uma prostituta espanhola, Caye, é a personagem escolhida por Léon ( que também assina o roteiro e a produção) para guiar a história.

Preocupada com a imigração ilegal, Caye e outras colegas de trabalho passam os dias em um cabeleireiro de quinta categoria espiando as prostitutas estrangeiras que oferecem traços exóticos e preços baixos e por isso começam a tomar parte do mercado de clientes da prostituição da capital espanhola. Interpretada pela atriz espanhola Candela Peña, a personagem conduz o filme mostrando ao espectador diversas nuances do universo da prostituição, enaltecendo os problemas enfrentados por estas profissionais em seu cotidiano.

Caye, que critica duramente as prostitutas estrangeiras junto com as amigas, percebe que uma delas está morando em seu prédio. Por causa de um episódio de violência, Caye ajuda a outra prostituta e um vínculo de amizade é formado. Zulema é uma prostituta da República Dominicana que vive ilegalmente na Espanha há 10 meses e por isso vive uma relação conturbada com um homem misterioso que promete legalizar sua situação em troca de relações gratuitas. Interpretada pela atriz porto-riquenha Micaela Nevárez, Zulema abusa da sensualidade para atrair clientes e vê na amizade com Caye, uma base de apoio em uma terra estrangeira e pouco acolhedora. A relação das duas equilibra a narrativa e pontua a história.

Enquanto Zulema sofre por viver distante da família, Caye vive uma relação silenciosa com a sua. Na mesa de almoço da família, todos almoçam em silêncio enquanto a mãe se gaba de receber flores de um admirador secreto. Apesar de seu telefone celular não parar de tocar devido a anúncios em jornais, Caye esconde sua profissão da família que perdeu o pai ( e consequentemente a felicidade) há 3 anos.

Com o objetivo superficial de implantar próteses de silicone nos seios, Caye trabalha sem parar por que acredita que com seios maiores trabalhará mais e ganhará mais dinheiro. Apesar do duro universo que a circunda, Caye ainda tem aspirações românticas e sonhos simples e enquanto conversa com Zulema, sua aparência aproxima-se de um ar pueril e ingênuo. As duas tem elementos em comum e como qualquer mulher desejam apenas encontrar o par ideal. As princesas das ruas de Madrid mostram um duro universo ao espectador mas comandam com firmeza o seu reino enquanto aguardam seu príncipe encantado, mesmo que este seja um simples técnico de computador ou um voluntário da área de saúde.