Há 40 anos anos, Beatles lançavam obra prima do rock

Hugo Cals, Agência JB

RIO - Desde seu lançamento no dia 1º de junho de 1967, o "Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band" dos Beatles detém o ambicioso título de obra prima definitiva no mundo do rock. Figurinha fácil na "pole position" das listas de melhores álbuns de todos os temps , escutar o disco nos dias de hoje ainda continua sendo uma experiência auditiva única. O disco foi uma virada no som dos próprios Beatles que disfarçados como banda do sargento Pimenta, ousaram romper com as estruturas do rock vigente na época.

Agregaram ao seu som, uma orquestra, diversos instrumentos indianos, acordeão, harpa, octeto de cordas , música eletrônica, sons distorçidos, "loops", trio de clarinetes entre outros. Outra novidade do disco foi que as músicas foram dispostas sem interrupção ; o som só parava quando se tinha que virar o lado do vinil. A bateria de Ringo preenche espaços nas lacunas do som e faz contribuições fundamentais para proposta musical do álbum.

As letras das músicas apareceram pela primeira vez na capa de um disco dos Beatles ("Sgt. Peppers" é o oitavo disco de sua carreira). A capa do disco é a definição perfeita da cultura pop da Londres dos anos 60. Segundo a revista inglesa "Mojo", John e Paul foram os principais responsáveis pela escolha dos personagens da capa. George só queria Maharishis (sábio da antiga Índia), para Ringo "o que os outros quiserem está bom para mim". Alguns personagens são estátuas de cera do famoso museu de Londres "Madame Tussauds" e foram emprestados ao grupo para a composição da capa. Hitler está lá também, escondido entre os Beatles. Uma obra de arte à parte.

Segundo o beatlemaníaco Francisco Antonio Lopes de Almeida, músicas como " With a little help from my friends", "Lucy in the Sky with Diamonds" (segundo boatos uma brincadeira com a sigla LSD, droga amplamente utilizada nas gravações do disco), " A dry in the life", "When I´m sixty-four" , "She´s leaving home", poderiam ser trilhas sonoras de filmes imaginários sobre histórias infantis, sexo, drogas, romance, velhice, elementos que, sem dúvidas, transcederam os limites do universo pop estabelecendo o "Sgt. Peppers Lonely Heart Club Band" como o registro definitivo de sua geração.(provisório)

Desde seu lançamento no dia 1º de junho de 1967, o "Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band" dos Beatles detém o ambicioso título de obra prima definitiva no mundo do rock. Figurinha fácil na "pole position" das listas de melhores álbuns de todos os temps , escutar o disco nos dias de hoje ainda continua sendo uma experiência auditiva única. O disco foi uma virada no som dos próprios Beatles que disfarçados como banda do sargento Pimenta, ousaram romper com as estruturas do rock vigente na época.

Agregaram ao seu som, uma orquestra, diversos instrumentos indianos, acordeão, harpa, octeto de cordas , música eletrônica, sons distorçidos, "loops", trio de clarinetes entre outros. Outra novidade do disco foi que as músicas foram dispostas sem interrupção ; o som só parava quando se tinha que virar o lado do vinil. A bateria de Ringo preenche espaços nas lacunas do som e faz contribuições fundamentais para proposta musical do álbum.

As letras das músicas apareceram pela primeira vez na capa de um disco dos Beatles ("Sgt. Peppers" é o oitavo disco de sua carreira). A capa do disco é a definição perfeita da cultura pop da Londres dos anos 60. Segundo a revista inglesa "Mojo", John e Paul foram os principais responsáveis pela escolha dos personagens da capa. George só queria Maharishis (sábio da antiga Índia), para Ringo "o que os outros quiserem está bom para mim". Alguns personagens são estátuas de cera do famoso museu de Londres "Madame Tussauds" e foram emprestados ao grupo para a composição da capa. Hitler está lá também, escondido entre os Beatles. Uma obra de arte à parte.

Segundo o beatlemaníaco Francisco Antonio Lopes de Almeida, músicas como " With a little help from my friends", "Lucy in the Sky with Diamonds" (segundo boatos uma brincadeira com a sigla LSD, droga amplamente utilizada nas gravações do disco), " A dry in the life", "When I´m sixty-four" , "She´s leaving home", poderiam ser trilhas sonoras de filmes imaginários sobre histórias infantis, sexo, drogas, romance, velhice, elementos que, sem dúvidas, transcederam os limites do universo pop estabelecendo o "Sgt. Peppers Lonely Heart Club Band" como o registro definitivo de sua geração.