Áustria restitui quadro de Munch

Agência ANSA

VIENA - Um ano depois de restituir cinco quadros do pintor Gustav Klimt aos seus legítimos herdeiros - judeus que foram expropriados durante o regime nazista -, Viena volta a devolver uma obra de arte aos proprietários originais. Marina Mahler, a neta de Alma e do compositor Gustav Mahler, filha da segunda filha do casal, recebeu oficialmente em uma cerimônia o quadro "Luar" do pintor norueguês Edvard Munch, que foi retirado da família em 1940.

A mulher do célebre compositor ganhou a tela de presente do industrial Karl Reininghaus em 1916, e em 1937 havia deixado o quadro no Museu Belvedere, em Viena, por dois anos. Em 1938, com a ascensão do nazismo, Alma teve de abandonar a µustria e fugir para o exterior com o seu terceiro marido, o escritor judeu Franz Werfel.

O padrasto de Alma, Carl Moll, um nazista convicto, vendeu o quadro ao Museu Belvedere nos anos 40 por sete mil marcos alemães, usando o nome da meia-irmã de Alma, Maria Eberstaller, que era casada com um importante funcionário nazista vienense. Portanto, ao invés de ficar dois anos no museu, permaneceu lá até hoje.

De 1947 até a sua morte em 1964, Alma Mahler procurou de todas as maneiras reaver a pintura do governo austríaco.

Em 1999, a Áustria recusou o pedido da neta Marina até que, em 2006, conseguiu que o governo devolvesse o quadro.

- Estou muito comovida - declarou Marina durante a cerimônia de hoje, que teve a presença da ministra da Cultura da Áustria, Claudia Schmied.

A diretora do Museu Belvedere, Agnes Husslein disse estar pronta para restituir a obra à legítima herdeira, apesar disso significar "uma grande perda" para o museu.