Italianos não se classificam no festival de Cannes

Agência ANSA

ROMA - Hoje saíram os classificados na seleção de filmes do festival de Cannes e a Itália teve a segunda desilusão na sua semana de má sorte. A Itália cinematográfica sai derrotada do festival de Cannes, onde nenhum filme do país foi escolhido para a competição oficial.

O país já se encontra em um momento difícil com os casos Alitalia e Telecom, além do fracasso da sua candidatura para o campeonato Europeu de futebol de 2012. Agora sai sem prêmios de Cannes.

- É uma desilusão que pode ser comparada à dos campeonatos europeus de futebol - disse o presidente da Anec (Associação Nacional de Executivos Cinematográficos) Paolo Protti, assumindo o sentimento de todos os italianos que esperavam ver pelo menos um filme nacional concorrer pela Palma de Ouro.

- É um pecado que tenha acontecido agora, em um momento no qual as capacidades produtivas, organizativas e autorais do nosso cinema estão tendo grandes resultados - continuou Protti.

Dino Risi, um dos pais do cinema do cinema italiano, disse não saber com que critérios são escolhidos os filmes para Cannes, e acrescenta brincando que "o fato é que sempre tratam os italianos um pouco 'à francesa', nós somos os 'primos antipáticos'. Mas nós nos vingaremos em Veneza, senão em Roma.".

Marco Bellochio, que este ano fará parte do júri, também disse não ter gostado da notícia, "a presença de um filme italiano no concurso é a prova de que o cinema italiano não está mais na situação de anos atrás. Existem filmes que têm agradado cada vez mais. E esse foi um período extraordinário em relação a rendas e público para o cinema italiano".

A presença de Luchetti, mesmo que de fora do concurso, é para qualquer italiano uma consolação. "É um pecado que não haja italianos no concurso, é extremamente importante, um motivo de orgulho, a notícia da presença de "Mio Fratello É Figlio Único" em Um Certain Regard (o 'prêmio de consolação' de Cannes). Agora há uma grande expectativa pela estréia do filme nas salas de cinema, com 550 cópias", disse Ferrari, que distribuiu o filme.

E Ricardo Tozzi da Cattleya, produtora do filme, acrescentou que "estamos felizes de representar a Itália em Cannes, mesmo se tivemos preferido estar em companhia de outros filmes italianos".