Visita de Madonna provoca aplausos e críticas no Malauí

REUTERS

LILONGUE - A cantora Madonna visitou na quarta-feira um centro de reabilitação para crianças e prostitutas no Malauí, enquanto a imprensa local cobrava mais transparência sobre as atividades dela no país africano.

Um dia depois de jornalistas que cobrem a viagem serem apedrejados por adolescentes, ela foi recebida por pessoas com cartazes de boas-vindas e levada para o centro, enquanto os repórteres ficaram de fora.

'Bem-vinda, Madonna, adote mais órfãos pobres', dizia um cartaz, referindo-se ao fato de que no ano passado a cantora adotou um menino do país.

O influente jornal Daily Times disse apoiar a promessa de Madonna de apoiar o Malauí, mas pediu à estrela e a seus assessores que sejam mais transparentes, depois da confusão que cercou sua última visita, quando ela iniciou o processo de adoção.

- É surpreendente que, assim como na sua primeira viagem, a segunda viagem de Madonna ao Malauí também esteja envolta em segredos - disse editorial do jornal.

- Esse tipo de comportamento é que dá espaço a especulações e, afinal, as pessoas são alimentadas com informações erradas, que podem levar a conclusões e ações erradas.

A assessora de imprensa de Madonna negou veementemente relatos da imprensa de que a cantora vá adotar uma outra criança malauiana. Ela afirmou que a atual visita é destinada a promover as atividades benemerentes dela.

Mas, diante da falta de informações oficiais sobre sua agenda, a polêmica continuou.

Na terça-feira, estudantes apedrejaram os carros de jornalistas para afastá-los do orfanato aonde ela levou seu filho adotivo, David Banda, de 1 ano, para encontrar seu pai biológico.

O diretor do orfanato havia prometido na segunda-feira que a segurança para a visita seria rigorosa, e que a comitiva de Madonna havia pedido para a imprensa ser mantida à distância.

Mas Madonna acabou convidando jornalistas para irem ao orfanato, onde respondeu a algumas perguntas e posou para fotos com Banda e sua filha Lourdes.

Madonna e seu marido, Guy Ritchie, assinaram há seis meses os papéis provisórios para a adoção de Banda, que passará 18 meses com o casal antes que o governo do país decida finalizar o processo.

A decisão de levar Banda para a Grã-Bretanha provocou críticas de alguns grupos de direitos humanos, para os quais Madonna estaria usando sua fama e fortuna para driblar as leis de adoção no país. A cantora nega.

Madonna está bancando a construção de uma clínica na aldeia malauiana de Gumulira, além de apoiar ONGs nos setores de educação e combate à desnutrição.

O Centro de Reabilitação Social, um pequeno edifício branco numa favela de Lilongue, é outro beneficiário da entidade Raising Malawi, de Madonna.