Cineasta francesa Agnès Varda morre aos 90 anos

A cineasta francesa da Nouvelle Vague Agnès Varda faleceu nesta madrugada, aos 90 anos, anunciaram membros de sua família e equipe nesta sexta à AFP.

"A diretora e artista Agnès Varda faleceu em casa na noite de quinta-feira, 29 de março de 2019, em consequência de um câncer. Está cercada por sua família e amigos", afirmaram.

Varda, uma figura lendária, trabalhou até o fim de sua vida e no mês passado apresentou um documentário autobiográfico no Festival de Berlim.

>> Agnès Varda, a pioneira da afirmação feminina

Cineasta e fotógrafa autoditada, explorou muitas facetas de cinema e multiplicou as experiências ao longo de sua carreira, que se enquadrada em grande parte no cinema social ou politicamente engajado através de documentários ou filmes dedicados a pessoas modestas ou marginais.

Nascida em 30 de maio de 1928, Varda frequentemente usou sua própria vida como um quadro para o seu trabalho reconhecido com uma Palma de Ouro honorária em Cannes, em 2015, o que fez dela a primeira mulher a receber esta distinção.

"Seu trabalho e sua vida estão imbuídos do espírito de liberdade, a arte de ir além dos limites (...) Em suma, Varda parece ser capaz de realizar tudo o que ela quiser", indicou na ocasião o Festival de Cannes.

Entre seus filmes, destaque para "Cleo e 5 à 7" (1962), "Os Renegados" (1985), "Janela da Alma" (2001), "As Praias de Agnès" (2009) e "Varda by Agnès" (2019).

slb-may/rh/lv/cr/tt