Trama complexa: confira crítica de 'A excêntrica família de Gaspard'

Levantando uma breve discussão acerca do papel dos zoológicos, “A excêntrica família de Gaspard” (“Gaspard va au mariage” – 2017) leva às telas uma trama complexa com leveza e humor. Dirigido por Antony Cordier, o filme bebe um pouquinho da fonte de “We bought a Zoo” (2011), de Cameron Crowe, no que diz respeito à necessidade de restauração da base familiar. Dividido em capítulos, o longa rompe a barreira do conservadorismo para falar sobre sexo sem pudores nem tabus, explorando o corpo humano em cenas de nudez contextualizadas. Mesmo abordando temas sérios como traição e incesto, a produção não julga nenhum de seus personagens, uma vez que é uma parábola do mundo animal – mundo este personificado na figura de Coline (Christa Théret), que assume seu alter-ego, uma ursa que vivia no local. Mesmo politicamente incorreto, este é um filme sobre amor e união familiar, respeitando as personalidades de seus membros. 

Macaque in the trees
Comédia politicamente incorreta (Foto: Divulgação)

______________________________

A excêntrica família de Gaspard: *** (Bom)

Cotações: o Péssimo; * Ruim; ** Regular; *** Bom; **** Muito Bom