Retrato realista e pertinente: confira crítica de 'Sequestro Relâmpago'

A cineasta Tata Amaral tem uma carreira premiada e ligada a questões sociais. “Sequestro relâmpago”, seu novo filme, é pertinente ao momento atual e aborda temas como preconceito, feminismo, empoderamento, machismo e busca pelo diálogo.

O longa faz uma crítica social e leva a uma reflexão sobre três jovens diferentes, que são mais próximos do que imaginam. Os protagonistas conduzem a trama que começa com Isabel (Marina Ruy Barbosa) sendo sequestrada na saída de um bar por Japona (Daniel Rocha) e Matheus (Sidney Santiago). O roteiro, que teve supervisão de George Moura, mantém ritmo constante de tensão e valoriza cenas realistas. Desigualdade social e racismo fazem parte das conversas noturnas. Marina Ruy Barbosa tem a oportunidade de mostrar vulnerabilidade feminina e potência durante essa jornada noite adentro pelo microcosmo que é São Paulo.

Macaque in the trees
A Marina Ruy Barbosa, Sidney Santiago (à esquerda) e Daniel Rocha em sua imperdível jornada noite adentro (Foto: Divulgação)

A busca pelo diálogo em tempos de ódio, a compreensão pela valorização humana, a violência fruto da desigualdade social e a representatividade transexual (com participação especial de Linn da Quebrada) enaltecem o excelente “Sequestro relâmpago”. Uma obra imperdível.

* Assistente de direção e jornalista

______________________________

Sequestro Relâmpago: **** (Muito Bom)

Cotações: o Péssimo; * Ruim; ** Regular; *** Bom; **** Muito Bom