Jornal do Brasil

Cultura

'Serrote' completa 10 anos com história única

Jornal do Brasil

Inserida numa tradição brasileira de periódicos, mas ao mesmo tempo com uma trajetória única ao unir ensaios, ficções e artes visuais, a revista serrote completa 10 anos e chega ao número 30 agora em novembro. Ao mesmo tempo, o Instituto Moreira Salles, casa da publicação, lança o livro Doze Ensaios Sobre o Ensaio, uma antologia que reúne textos publicados na história da revista sobre o fazer ensaístico - fato presente na linha editorial da serrote desde o início.

Para celebrar a data, o Instituto Moreira Salles (IMS) ainda organiza um debate nesta quarta-feira, 21, em sua sede paulista com três colaboradores da revista: a socióloga Angela Alonso, o escritor e colunista do Estado Milton Hatoum e o psicanalista Tales Ab'Sáber. A conversa entre os convidados começa às 19h30.

A antologia e a serrote #30 também serão lançadas no Rio de Janeiro, no dia 4 de dezembro, às 19h, na Livraria da Travessa de Ipanema, quando conversam a crítica literária Beatriz Resende e os filósofos Carla Rodrigues e Eduardo Jardim - todos já tiveram textos publicados na serrote.

O novo livro, segundo o editor Paulo Roberto Pires (organizador da seleção e o profissional à frente da serrote há oito anos), busca "oferecer uma sequência de reflexões que procuram cercar, sem imobilizar, um objeto que vive de escapar às definições": o ensaio, gênero de pouca tradição em língua portuguesa, mas amplamente aceito e divulgado em inglês.

Entre os textos selecionados, estão resgates históricos, como o panorâmico O Ensaio Literário no Brasil, de Alexandre Eulálio e Essai, Essay, Ensaio, do americano John Jeremiah Sullivan e explorações teóricas do gênero, como os clássicos Sobre a Essência e a Forma do Ensaio: Carta a Leo Popper, de Gyorgy Lukács, e O Ensaio e sua Prosa, de Max Bense. César Aira, Lucia Miguel Pereira e Jean Starobinski são outros autores que aparecem no livro.

Sobre a revista, o editor Paulo Roberto Pires diz que a ideia da serrote sempre foi "ser um espaço de circulação de ideias independente e arejado". A publicação é subvencionada pelo Instituto Moreira Salles: de outra forma, dependendo de anúncios e assinaturas, o modelo tradicional de sustentação de periódicos, provavelmente não existiria. Criada em 2009 a partir de uma ideia do superintendente do IMS, Flávio Pinheiro, editada até o número 5 pelo jornalista e editor Matinas Suzuki Jr., e depois por Paulo Roberto Pires, a serrote já publicou 379 ensaios.

Operando com uma lógica de livro, Pires considera que o principal desafio da revista é colocar discussões duradouras. "Quando vejo o número de ensaios espalhados em bibliografias de estudos acadêmicos, ou teses sobre a revista, considero uma vitória. Mas entendo que o impacto aconteça aos poucos", diz o editor da serrote.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.