Jornal do Brasil

Cultura

Musical 'Lugar de Escuta' debate o feminismo

Jornal do Brasil

São oito atrizes, sob a direção de Fabiana Tolentino e um grande desafio diário - "Lugar de Escuta" é um musical híbrido, que se adapta a cada apresentação. Com estreia prevista para esta quarta-feira, 21, no Teatro do Núcleo Experimental (Rua Barra Funda, 637), o espetáculo trata de temas urgentes, como feminismo e desafios do tempo atual.

A ideia surgiu em março. "Nasceu primeiro da minha necessidade de fazer algo com a minha insatisfação com o mercado de musicais no Brasil, que reforça a cultura dos perfis e estereótipos - se você fez coro, você é para sempre coro. Poucos conseguem furar isso. Eu tinha acabado de sair do '2 Filhos de Francisco', que foi uma experiência excelente artisticamente. Eu queria mais. Decidi morar em São Paulo e comecei a estruturar o que seria o M.O.T.I.M, esse grupo de estudo", conta Fabiana, em depoimento divulgado pela assessoria de imprensa do espetáculo.

Foi a partir dessa insatisfação que ela convidou amigas artistas para estudar sobre assuntos como o papel da mulher na arte, buscando referências em livros. A empolgação foi crescendo assim como o grupo aumentava até que Fabiana descobriu qual seria a estrutura da peça, inspirada em um parque criado pela artista francesa Niki de Saint-Phalle que, morta em 2002, usou a técnica do papel machê para criar suas famosas Nanás, grandes bonecas que representam o mundo feminino.

Assim, "Lugar de Escuta" traz cenas que apontam para diversos lugares da fala a fim de trazer um panorama sobre as diversas questões que marcam o cotidiano das mulheres, dos dissabores aos momentos de delícias. No total, são 22 cenas inspiradas pelos 22 arcanos maiores do tarô, mas apenas oito delas serão apresentadas em cada sessão. Essas cenas serão selecionadas por um jogo de tarô com a seguinte pergunta: "Que peça de teatro a plateia de agora precisa assistir?".

As apresentações são acompanhadas de uma exposição de obras de quatro artistas, que criaram especialmente para o espetáculo. São dois painéis de 4 metros de altura, idealizados por Beatriz Ghidalevich, Jessica Factor, Natalia Cares e Amanda Falcão, que também terá outros trabalhos expostos no teatro.