A pulsão do cinema nacional

A 10ª Semana de Cinema começa hoje com 56 produções de dez estados brasileiros

Voltada para a exibição e discussão da produção brasileira contemporânea de curta, média e longa-metragem, a Semana de Cinema completa dez anos apostando em obras que se destacam pelas investigações de linguagem, experimentação e criação sem amarras. O resultado é sempre diverso, mas os filmes têm em comum temas contemporâneos. O público vai poder conferir a potente produção nacional a partir de hoje, quando o festival começa em seis municípios: Rio (Espaço Net Botafogo, Favela Cineclube e Sesc Madureira e Tijuca), Niterói (Cine Arte UFF), Sesc Nova Iguaçu, São Gonçalo e São João de Meriti e Duque de Caxias (Cineclubes Mate com Angu e Imbariê nos Trilhos).

Macaque in the trees
"Sedução da carne", de Júlio Bressane, conta a história de uma viúva, interpretada por Mariana Lima, que conversa com seu papagaio e começa a ser perseguida por nacos de carne (Foto: reprodução)

Além da ampliação do circuito de exibição, a 10ª Semana de Cinema traz novidades na curadoria. O festival não terá uma mostra competitiva desta vez. A seleção oficial foi ampliada e reúne 32 filmes, escolhidos pela equipe do festival e por curadores convidados, que se encontraram várias vezes para ver, rever, discutir e propor a programação. “O conjunto final é muito variado, mas tem em comum a pulsão do cinema”, observa o curador Daniel Queiroz, que divide a coordenação de programação com Patricia Fróes. “Temos filmes relacionados a questões políticas da história recente do Brasil (inclusive um documentário filmado durante a greve dos caminhoneiros); obras que trazem questões raciais e de gênero, que tratam da luta por moradia, de ocupação das cidades, dentre outros. Os temas são diversos, mas nos interessa muito, para além dos temas em si, a forma com que os filmes lidam com eles, a construção realizada, o uso inteligente da linguagem cinematográfica”, completa.

O festival apresentará ainda outras três mostras: a Retrospectiva André Novais Oliveira, com cinco filmes do diretor mineiro, incluindo seu novo trabalho, “Temporada” (melhor filme no último Festival de Brasília); a mostra “Como mito desmontado, amanhã recomeço”, onde a curadora e pesquisadora Patrícia Mourão apresenta uma sessão que busca trabalhar com o deslocamento de obras das salas de galerias e museus para a tela do cinema; e a Circuito Sesc – Semana de Cinema, com a exibição de dez filmes cariocas. Ao todo, a 10ª Semana de Cinema reúne 56 produções vindas de dez estados. O longa inédito “Sedução da carne”, do consagrado cineasta Julio Bressane, vai encerrar o festival, dia 28, às 21h, no Estação Net Botafogo.

Além de ampliar o circuito, a 10ª Semana aumentou o número de eventos paralelos. Serão realizados seis masterclasses, com diretores e programadores, oficinas e os debates “Quanto vale um curta-metragem?” e “As mulheres e as funções técnicas”. A programação completa pode ser consultada em www.semana.art.br/2018