Mosaico do século VI roubado há 40 anos volta ao Chipre

As autoridades do Chipre anunciaram nesta terça-feira a volta ao país de um mosaico do século VI que tinha sido roubado de uma das igrejas desta ilha mediterrânea há mais de 40 anos.

"O mosaico de São Marcos (...) foi repatriado ao Chipre a partir da Holanda", indicou o departamento de antiguidades em um comunicado.

Este mosaico da igreja Panayia Kanakaria, no nordeste do Chipre, foi roubado durante a invasão turca em 1974. A obra fazia parte de uma série de fragmentos de um afresco também saqueado nesta época.

"O mural mosaico de Panayia Kanakaria (...) é uma obra artística de importância considerável e um dos raros representantes dos primeiros mosaicos cristãos no mundo", afirmou o departamento cipriota de antiguidades.

O holandês Arthur Brand encontrou a pista desta obra em Mônaco depois de uma caça ao tesouro durante dois anos em toda a Europa.

A obra "pertencia a uma família britânica, que a havia comprado de boa fé há mais de 40 anos", disse à AFP este especialista em arte.

"Horrorizada depois de descobrir que era um inestimável tesouro da arte", a família concordou, segundo Brand, em devolver a obra "ao povo cipriota", por uma quantia modesta para cobrir os gastos de restauração e armazenamento.

O mosaico de São Marco, cujo valor é estimado em entre cinco e 10 milhões de euros, foi restituído no domingo pelas autoridades holandesas ao departamento cipriota de antiguidades, em uma cerimônia privada na embaixada do Chipre em Haia.

O mosaico foi finalmente entregue à igreja do Chipre e será exposto ao público no museu bizantino de Nicosia, disse à AFP a diretora do departamento de antiguidades, Marina Solomidou-Ieronymidou.

cc/hkb/rsc/nj/feb/all/pb/me/db