Jornal do Brasil

Cultura

Semana de Moda de Paris: Coleções mais acessíveis

Jornal do Brasil IESA RODRIGUES, Especial para o JB

Funcionais, é a melhor definição para as propostas dos integrantes da semana de moda de Paris. Sem intenções de roupas profissionais, mas com sentido objetivo, as coleções de verão desfiladas nesta semana cumpriram a missão de justificar a capital francesa como maior polo lançador de moda. Com a diferença de mostrar roupas, não apenas conceitos e elucubrações de designers de vanguarda.

Macaque in the trees
O moderno e básico: legging acompanha a clássica veste de tweed no cenário de praia da Chanel (Foto: Bertrand Guay/AFP)

Ao fundo, o cenário

Impossível não ficar feliz por receber um convite para o desfile Chanel, já que a cada seis meses Karl Lagerfeld (que assina a coleção desde 1983) inventa uma ambientação para preencher o espaço do Grand Palais, pavilhão nos Champs Elysées que pode receber até 1.200 convidados. Desta vez, simplesmente transformou o salão em praia, com direito a ondinhas e areia, para lembrar de Sylt, praia que frequentava quando criança, na Alemanha. Descalças, as modelos vestiam temas clássicos da marca: tailleurs de tweed, camélias, bolsas matelassês. Só que tudo enfatizando o logo de letras C duplas, o logo da palavra Chanel _ brincos, por exemplo, com a sílaba CHA em uma orelha e NEL na outra. Formas mais soltas, prontas para vestir eventuais plus-sizes. E o melhor: um olhar para o que usa na vida real. Tanto que um dos looks mais interessantes reúne o famoso blazer de tweed sobre um legging preto. Mais fácil de adotar, impossível.

Na Dior, graças ao encanto da designer Maria Grazia Chiuri pela dança, o fundo para o desfile de tutus e jaquetas rosés ou modelos em rede nude, realçando as novas bolsas atravessadas, foi uma apresentação do grupo da coreógrafa Sharon Eyal.

Antes, a Arte

Antes da criação os profissionais da moda buscam referências. Se Lagerfeld lembrou da sua praia, a maioria dos colegas pensou na Arte. Na reedição da grife Paul Poiret, as estampas saíram de obras de Bernard Frize, colorindo os vestidos assinados por Yiqing Yin. Marianna Rosati, diretora de criação da marca DROme, também transformou em estamparias as obras de Klaus Jurgen Schmidt. Wanbing Huang homenageou a modelo e atriz alemã Nico, protagonista no filme A cicatriz interior na linha da At_One_Ment. Outra musa, desta vez para Clare Waight Keller, autora das coleções masculinas e femininas da Givenchy, foi Annemarie Schwarzenbach, mulher que se vestia de homem nos anos 1930, precursora do estilo genderless, seguido por Clare nesta temporada.

Macaque in the trees
Mais clássico do que nunca, o estilo Givenchy visto no longo com decote geométrico (Foto: Bertrand Guay/AFP)

Macaque in the trees
A capa de laminado da DROme segue o tom rosé da cartela Candy Colors, os novos tons pastéis (Foto: Bertrand Guay/AFP)

Resultado: moda usável

Cercada por dançarinos e areias, fundamentada em artistas e ícones, a moda do verão 2019 é quase básica. As saias de tutu da Dior acompanham jaquetas quase-Levis, mas em tons rosês. Na Givenchy, longos pretos têm decotes geométricos, elegantes. Os homens adotam cáquis e cargos, com bolsos deslocados - verdade que há bordados de espelhos ao longo da coleção, para dar o toque show. O rosa, previsto nas tendências como a cor mais forte da cartela das Candy Colors, compete com os Nudes. Vale o branco, desde que em tecido inovador, como o neoprene.

Afinal, os sapatos concentram as novidades. Francesco Russo afirma que subtrai os materiais a um ponto que chama de surrealista, como nos calçados feitos de fios dourados tramados. Na tradicional Roger Vivier, com Gherardo Felloni pensando em escultoras, fotógrafas, bailarinas, atrizes e cantoras líricas, o destaque foi a série de tênis de solado grosso. Sim, a grife famosa pelas sapatilhas de verniz, entrou na dança dos tênis chunky, que andam nos pés de celebridades e digital influencers!

Há uma troca de informações entre o que já vestimos e calçamos e as ideias dos autores das novas modas. Ou das novas maneiras de usá-las.

Macaque in the trees
Tênis chunky, uma série que surpreendeu no lançamento da clássica grife (Foto: Bertrand Guay/AFP)



Recomendadas para você