Jornal do Brasil

Cultura

San Sebastián se rende ao muso argentino

Jornal do Brasil RODRIGO FONSECA *, Especial JB

Vizinha da França, situada no Norte da Espanha, em terreno basco, a cidade de San Sebastián sedia há 66 anos o maior e mais disputado festival de cinema de seu país (e todas as nações hispânicas), que inicia hoje mais uma edição, apinhada de filmes de autor e de produções com perfume de Oscar, como “Nasce uma estrela”, de Bradley Cooper, com Lady Gaga. Mas quem vai inaugurar os trabalhos no evento é o muso argentino Ricardo Darín. Seu novo longa-metragem, a comédia romântica “El amor menos pensado”, de Juan Vera, vai abrir o evento, tendo a estrela Mercedes Morán como parceira de Darín.

Macaque in the trees
O maior rival de "Trapero" será "El amor menos pensado", com Mercedes Morán e Ricardo Darín (Foto: Divulgação)

“É muito bom ver o cinema da Argentina ocupar vagas em festivais internacionais e levar nossa diversidade estética e nossa identidade para diferentes cantos do mundo. Sempre que fui chamado para atuar fora do meu país, sobretudo em outras línguas, eu penso na importância que é representar o lugar de onde venho”, disse Darín ao JB, quando começou a rodar “El amor menos pensado”:“O humor faz parte da natureza da América Latina”.

Neste novo filme, o galã de Buenos Aires interpreta um sujeito que se reinventa após 25 anos de casado, sem conseguir se afastar da mulher com quem viveu (papel de Mercedes). O longa é um dos 18 títulos da disputa pela Concha de Ouro, o prêmio principal do Festival de San Sebastián. Estão em competição este ano cineastas aclamados, como a francesa Claire Denis (“High life”); a japonesa Naomi Kawase (“Vision”); o filipino Brillante Mendoza (“Alpha, the right to kill”), a chilena Valeria Sarmiento (“Le cahier noir”) e o ator francês Louis Garrel, que assina a direção de “Un homme fidèle”. Produzido por Brad Pitt, “Beautiful boy”, um dos títulos na briga por prêmios, cuja direção é do belga Felix Van Groeningen, vem sendo encarado como um potencial candidato ao Oscar. Steve Carell é seu protagonista: ele vive um pai de família que ajuda o filho (Timothée Chalamet) a se livrar das drogas.

O Brasil participa da vitrine audiovisual da Espanha com longas, como “Los silencios”, de Beatriz Seigner, e “Ferrugem”, de Aly Muritiba, além das coproduções “Sueño Florianópolis”, de Ana Katz, e “As herdeiras”, de Marcelo Martinessi. Entre as atrações estrangeiras mais esperadas das sessões paralelas à briga pela Concha dourada, destacam-se “Infiltrado na Klan”, de Spike Lee; “Cold war”, de Pawel Pawlikowski; “The Sisters Brothers”, de Jacques Audiard; “ROMA”, do mexicano Alfonso Cuarón (filme ganhador do Leão de Ouro em Veneza); e “Shoplifters”, que rendeu a Palma de Ouro ao japonês Hirokazu Kore-eda. O Festival de San Sebastián segue até o dia 29 deste mês.

*Roteirista e crítico de cinema



Recomendadas para você