Jornal do Brasil

Cultura

Verão à vista

Lançamentos de coleções vão do sertão ao jeans icônico

Jornal do Brasil IESA RODRIGUES, Especial para o JB

Novas cores, tecidos tecnológicos, marcas que chegam de fora do Rio. Estas são algumas pistas do que poderá ser vestido quando as temperaturas subirem. Roupas brancas sugeridas para uso além da noite de Ano Novo, em formas de longos com detalhes artesanais _ rendas ou bordados _ ou macacões de estilo mais geométrico, com recortes ousados. A alfaiataria revista em tecidos dupla face, as estampas variando em torno dos motivos tropicais/florais e até inspirações no Egito ou Matisse nas joias e bijuterias. Estes são toques vistos nos lançamentos desta semana.

Verão no Vitória

Uma mostra competente, montada por uma assessoria de imprensa, revelou boa parte das novidades. A empresa Canal A reuniu cerca de 30 marcas na varanda do restaurante Vitória, no Jockey Clube da Gávea, para avaliação de blogueiras e jornalistas. O mix distribuído em araras e balcões incluiu desde redes como a Leader ou Zinzane, indústrias de peso, como a DeMillus, marcas trendy como a Farm, Enjoy e Hering. No setor de acessórios, destaque para a Via Mia, Paula Vivaqua, Nuni. E aterrissaram no Rio de Janeiro a NX, trazida de Fortaleza por Natalia Ximenes e a Étoiles, de São Paulo.

 

Sertão chic

Mara MacDowell aderiu à onda de inspirações no Norte do país, de um modo elegante, característico seu há mais de 50 anos de moda, sem perder a inovação. Com Alexandre Medeiros no design, a coleção chamada de Impermanência oferece belas vestes em tecido dupla face, de um lado um cinza mescla e do outro, o rosa milênio. Os looks de malha tricô são longos e os tons do crepúsculo colorem de vermelho os vestidos com argolas nas alças, que lembram a selaria dos vaqueiros. O traçado dos rios vira grafismo em jacquard e as trouxas dos retirantes se transformam em colares de nós de tecidos. Neste tempo todo de atividade, com desfiles memoráveis no currículo (com carros na sala do Fashion Rio, outro, com as modelos portando aquários com peixes vivos na passarela, e mais um, com Baden Powell tocando violão ao fundo, entre outros espetáculos regidos por Bia Lessa), quais os best-sellers da marca?

“Meu setor favorito é o couro, sapatos e bolsas, minhas paixões. Outra peça que faz sucesso o ano inteiro é o casaquinho de ombro, já feito em todas as cores” _ conta Mara, que define simplesmente a estratégia para durar tanto como marca.

“É porque a gente ama. Só por isto se permanece…”

Show à vista

Já a Levi’s ocupa a Casa Laura Alvim desde quinta-feira, para fortalecer a imagem ligada às causas e valores da marca baseada em São Francisco. Diversidade, igualdade de gêneros, direitos de minorias, inclusão, liberdade de expressão e sustentabilidade são questões defendidas pela Geração 501.

“Queremos fazer desse espaço múltiplo um palco de debates e de reflexão, para dar voz a uma geração que deseja respeito, representatividade e mudanças. Tudo isso por intermédio da interação entre artistas, criadores, pensadores e público”, disse Marina Kadooka, gerente de marketing da Levi’s®, no Brasil.

Destaques da cena musical, como o Suricato, 2 Reis, o quarteto Qinho e o rap das meninas do Abronca movimentam a programação gratuita do espaço.

A parte da moda, que revigora e reafirma o encanto da 501, modelo de calça mais amado do universo jeans, inclui duas oficinas: a Tailor Shop, para customização e a de upcycling da Ahlma, modificando peças trazidas pelo público. No primeiro andar da Casa Laura Alvim, a Geração 501 fecha o evento hoje com o barulho eletrônico da Technobrass.



Recomendadas para você