Jornal do Brasil

Cultura

Nem Schwarzenegger salvaria: confira crítica de 'O predador'

Jornal do Brasil TOM LEÃO, nacovadoleao.blogspot.com.br

Esta nova empreitada em cima da série “O predador” (que começou com um magnífico filme de ação, em 1987), tem a seu favor ser uma sequência lógica, a de manter a timeline do original (e de suas duas continuações), em vez de ser um remake ou reboot, como tinha sido pensado originalmente. Melhor assim. Contudo, o diretor e co-roteirista Shane Black (que atuou no primeiro filme) enfiou tantos elementos na trama (escrita em colaboração com Fred Dekker, nome cult dos 80s) que o roteiro acabou virando uma enorme bagunça.

Macaque in the trees
O filme dirigido por Shane Black não é um remake ou reboot do original (Foto: Divulgação)

A primeira parte, é Ok. Remete a filmes de ação dos 80s (com violência explícita e humor politicamente incorreto). Mas o seu desfecho é um bocado forçado. O resultado é um filme violento, barulhento e com algum humor. Só.

“O predador” carece, sobretudo, de um herói carismático (Boyd Holbrook, de “Narcos” é zero à esquerda, nem chega perto do Dutch, de Schwarzenegger, do original). A trama, mexe um bocado na mitologia da raça de caçadores intergalácticos. Para pior. Diminuindo o mistério em torno deles. Apenas para justificar o (fraco) motivo de terem voltado ao nosso planeta.

No final, aquele maldito gancho obrigatório, para uma sequência (que bem poderia ter sido uma ceninha pós-créditos, se tanto), quase põe tudo a perder. Só a bilheteria dirá.

*Jornalista

______________________________

O PREDADOR: ** (Regular)

Cotações: o Péssimo; * Ruim; ** Regular; *** Bom; **** Muito Bom

 



Recomendadas para você