Jornal do Brasil

Cultura

Em show com formato de palestra, Francis Hime conta as histórias sobre como criou seus maiores sucessos

Jornal do Brasil AFFONSO NUNES

Conhecer um pouco do processo criativo de compositores sempre desperta interesse, sobretudo se brotarem dessas histórias os bastidores de grandes canções. Exercitando sua memória a um exercício extremo de disciplina tal qual uma interminável sessão de estudos de escalas, o pianista e compositor Francis Hime lançou “Trocando em Miúdos as minhas canções”, um livro que resgata os bastidores de suas criações com os parceiros que colecionou em sua vasta trajetória artística tais como Chico Buarque, Vinicius de Moraes, Gilberto Gil Milton Nascimento, Paulo Cesar Pinheiro e tantos outros grandes criadores da MPB. E uma pequena parte desta coleção de histórias ganhou formato de show no espetáculo de mesmo nome que Francis e Olivia Hime apresentam hoje na Sala Baden-Powell, em Copacabana, pela série Encontros Musicais.

“Em geral, nem mesmo o próprio autor se dá conta do que o levou a conceber uma determinada obra”, justifica Francis que, além de uma memória invejável, possuía algumas anotações que o ajudaram a escrever, em pouco mais de um ano, um sólido registro de seu processo criativo. Lançado pela Editora Terceiro Nome, o livro de 300 páginas é recheado de boas histórias e exemplos sonoros por meio de 352 arquivos digitais em formato QR-Code que podem ser acessados via web, transportando o leitor a uma condição de ouvinte e testemunha de como Francis Hime compõe.

No formato de palestra-show, com direção de Flávio Marinho, o espetáculo leva Francis a dialoga com a plateia ao apresentar cada uma de suas composições. Tal qual num laboratório, mostra a estrutura celular por trás de cada canção escolhida e ainda conta histórias de seus principais sucessos. A longa parceria com Chico Buarque não passa em branco. “Muitas vezes eu gravava uma determinada parceria nossa e depois Chico a regravava num disco dele, o que tornava necessário eu fazer um arranjo diferente para cada uma”, conta Francis. Mas às vezes o processo mudava e Chico lançava a canção primeiro. “Sempre ficávamos em dúvida sobre qual dos dois arranjos tinha mais a ver com a canção”, acrescenta Francis.

E donde vem a inspiração para certos temas? No caso de Francis, das mais variadas fontes. A estrutura melódica de “Passaredo”, outra parceria com Chico. Tem trechos de sonoridade que remetem A “Claire de Lune”, de Debussy, admite Francis. “Uma peça que tocava muito em meus estudos clássicos”, recorda-se o compositor. As semelhanças, explica, vêm de uma sucessão de terças acima.

Em outros casos, antigas anotações deixadas de lado por anos ganhavam força a partir de uma letra que os parceiros levavam ao compositor.

A partir do repertório selecionado para o show, o público ouvirá acordes e histórias de pérolas como “Atrás da Porta”, “Meu Caro Amigo” e “Vai Passar”, entre outras. “Trata-se de um show que fala para um livro que canta”, resume a cantora Olívia Hime, parceira de palco e vida com Francis.

SERVIÇO

Francis Hime “Encontros Musicais”. Participação Especial de Olivia Hime

Data: 01 de setembro, sábado

Horário: 20 horas

Local: Sala Municipal Baden Powell

Endereço: Avenida N. Sra. de Copacabana, 360 – Copacabana – RJ

Telefones: (21) 2547-9147 / (21) 98675-4222

Valor do Ingresso: R$ 60,00 (inteira) e R$ 30,00 (meia)



Recomendadas para você