Bélgica conquista histórico 3º lugar na Copa ao vencer Inglaterra

A Bélgica venceu a Inglaterra por 2 a 0, neste sábado em São Petersburgo, e garantiu a terceira colocação da Copa do Mundo da Rússia 2018, a melhor campanha da história dos Diabos Vermelhos em um mundial.

Thomas Meunier, aos quatro minutos do primeiro tempo, e Eden Hazard, aos 37 da segunda etapa, fizeram os gols da vitória. Mesmo sem marcar, Harry Kane ficou perto de se garantir como artilheiro da competição com seis gols.

É a melhor campanha Bélgica na história da Copa do Mundo, melhorando o quarto lugar conquistado no Mundial do México-1986. A campanha ainda foi marcada pela vitória sobre o Brasil (2-1) nas quartas de final, mas não conseguiu ir à decisão após derrota para a França na semifinal (1-0).

Já os ingleses ainda estão distantes de repetir o título de 1966. Por outro lado, a equipe não disputava uma semifinal desde a Itália-1990, torneio em que terminaram na quarta colocação, e saem de cabeça erguida com a campanha liderada pela renovação da equipe pelo técnico Gareth Southgate.

Harry Kane pode ter garantido a Chuteira de Ouro do campeonato com seis gols, já que Romelu Lukaku não marcou e está na vice-artilharia, com quatro. Apenas Antoine Griezmann e Kylian Mbappé tem chances de brigar pela artilharia, mas para isso precisam marcar três gols na final de domingo contra a Croácia para empatar com o camisa 9 inglês.

- Contra-ataque belga -

Apesar da queda nas semifinais, as equipes queriam provar seus potenciais: a Geração Dourada belga em busca de afirmação, contra a renovação inglesa. Diferentemente do jogo da fase de grupos, quando as equipes entraram com times reservas, as seleções foram com força máxima. E não demorou muito para a qualidade dos jogadores se mostrar em campo.

A Bélgica conseguiu encaixar seu primeiro grande contra-ataque aos três minutos, com Lukaku acelerando o jogo no lado esquerdo com Chadli, que cruzou para a chegada de Meunier. O lateral se antecipou à defesa e mandou para as redes para abrir o placar, aos 4 minutos.

Meunier foi desfalque na semifinal contra a França, por conta de acúmulo de cartões, e mostrou que fez falta na partida contra os Bleus.

O gol deixou os Diabos Vermelhos muito cômodos na partida, sonhando com a melhor atuação do país na história da Copa do Mundo. A Bélgica dominou todo primeiro tempo e teve diversas chances de ampliar a vantagem, principalmente em contra-ataques.

Aos 11 minutos, De Bruyne exigiu defesa de reflexo de Pickford ao chutar e contar com desvio na zaga. A equipe ainda teve oportunidades em chute de Hazard travado pela defesa, aos 34, e contra-ataque que Lukaku ficou mano a mano com o defensor e acabou chutando em cima do zagueiro, aos 46.

A Inglaterra estava tímida e não conseguia criar jogadas com clareza. A única chance real veio aos 22 minutos, quando Sterling recebeu lançamento, driblou o zagueiro e tocou rasteiro para Kane, que chutou de primeira para fora.

- Para a história -

Na volta do intervalo, a Inglaterra fez mudanças para tentar equilibrar o jogo, colocando Rashford no lugar do apagado Sterling. A equipe começou a rondar mais a área belga, chegando com perigo em chute de Lindgard, aos 9 minutos.

Mas a partida ficou morna, com as duas equipes sem muita intensidade. Ainda assim, a Bélgica chegava com perigo em passes agudos de De Bruyne, que deixou Lukaku na cara do gol para marcar, aos 10, mas o centro-avante não dominou direito e perdeu a chance. Lukaku não estava em um bom dia e perdeu chances de empatar com Kane na artilharia, sendo substituído por Martínez e indo direto para o vestiário.

A melhor chance inglesa só veio só aos 24 minutos, quando Rashford deixou Dier frente a frente com Courtois. O volante deu um leve toque para encobrir o goleiro, mas Alderweireld conseguiu dar o carrinho para tirar a bola em cima da linha antes do empate.

A Inglaterra melhorou no jogo e quase conseguiu marcar em cabeçadas de Dier, aos 28, e Maguire, aos 29 minutos, aproveitando a queda de rendimento da Bélgica. Mas os Diabos Vermelhos só estavam esperando a chance para emplacar um contra-ataque.

Aos 34, a jogada saiu em velocidade com excelente participações de Hazard, De Bruyne e Mertens, que inverteu o jogo para a chegada de Meunier pelo lado direito. O lateral emendou um voleio sem pulo, mas Pickford apareceu para fazer uma defesa espetacular e evitar o segundo gol.

Mas no lance seguinte Hazard conseguiu superar o arqueiro inglês, aos 37 minutos, após receber belo passe em profundidade de De Bruyne e tocar rasteiro na saída do camisa 1.

O gol deu a vantagem necessária para a equipe controlar o jogo e ver o tempo passar até o apito final do árbitro, coroando a melhor campanha belga na história da Copa do Mundo com a medalha de bronze.