'Voltando para casa': Inglaterra se une no ritmo da expressão consagrada pela torcida

LONDRES - A expressão “It’s coming home”, algo como “está voltando para casa”, é a mais popular atualmente na Inglaterra. Mais precisamente, desde a dramática vitória nos pênaltis sobre a Colômbia, nas oitavas de final da Copa do Mundo. E agora que a seleção comandada pelo técnico  Gareth Southgate está nas semifi nais, “It’s coming home” se tornou um mantra. Está em todos os bares, nas lojas de departamento, e, principalmente, na boca dos eufóricos torcedores, que não param de comemorar a vitória de 2 a 0 sobre a Suécia, no sábado. O resultado levou a Inglaterra às semifinais do Mundial, o que não acontecia há 28 anos, desde a Copa de 1990, na Itália. 

A expressão significa que o futebol está retornando para a Inglaterra, país que inventou o esporte mais popular do planeta. Os ingleses conquistaram apenas um Mundial, em 1966, que foi realizado no país. De lá para cá, a melhor colocação foi o quarto lugar em 1990. Por isso a euforia geral.

Dos jornais locais aos torcedores, passando pela realeza, todos estão acreditando que finalmente chegou a hora de comemorar novamente o título mundial. 

Ontem, depois de beberem todos os pints (tulipa de meio litro de cerveja) até de madrugada, os ingleses  amanheceram ainda dentro de um sonho. O céu estava azul e a temperatura beirava  os 30 graus, uma raridade muito bem aproveitada pelos moradores de Londres. As ruas estiveram cheias durante todo o dia, assim como bares e restaurantes. Estes, quase em sua totalidade, tinham promoções envolvendo a frase “It’s coming home”. Tinha rodada de cerveja grátis, hambúrguer com desconto de 50% para quem estivesse com a camisa do “English Team” e por aí vai.

Os jornais embarcaram na onda e deixaram qualquer vestígio de imparcialidade de lado. O “The Sun” disse em sua manchete “Quarta-feira (dia do jogo contra a Croácia) será feriado. Torcedores vão à loucura com a volta da Inglaterra às semifinais da Copa apos 28 anos”. Já o “Metro”, distribuído gratuitamente no metrô londrino, estampou “A Inglaterra está de volta às semifinais depois de varrer a Suécia”.  Na mesma linha, o “Daily Mail” não poupou empolgação. “Inglaterra vence! Os três leões (como a seleção inglesa é chamada pelos torcedores) avançam para sua primeira semifi nal de Copa em 28 anos e deixam 32 milhões de torcedores loucos”.

Festa em loja sueca 

E dizer que os torcedores ficaram loucos não é força de expressão. Um grupo comemorou a vitória sobre a Suécia invadindo a loja de móveis e utensílios para casa “Ikea” (sueca) no bairro de Wimbledon. Os torcedores pularam nas camas, gritaram centenas de vezes “It’s coming home” e entoaram os nomes dos jogadores. Depois saíram felizes da vida. 

A bagunça não teve maiores consequência e a loja aproveitou para fazer marketing. Pôs vários objetos em promoção, a 19,66 libras, em alusão ao título mundial de 1966. Além disso,  a matriz na Suécia aproveitou a invasão para enaltecer a classificação da Inglaterra. “Soubemos que torcedores ingleses comemoraram a vitória em uma de nossas lojas. Sobre o jogo, gostaríamos de dar os parabéns a eles”. 

Em várias ruas da capital londrina, havia muita gente escalando semáforos e outros que saltavam dos tetos dos ônibus, o que certamente não deu muito certo. Por pouco alguns torcedores não se machucaram. A alegria era tanta que nem mesmo um carro do serviço de ambulância foi poupado e acabou completamente amassado por um grupo. 

O domingo de sonho para os londrinos terminou com um show no Hyde Park com Santana abrindo para Eric Clapton. Mas não  foi para qualquer um. Os ingressos custavam 220 libras, mais de mil reais.