França derrota o Uruguai por 2 a 0 e está na semifinal da Copa

Três Copas depois, a França está de volta às semifinais. Em duelo equilibrado com o Uruguai, uma cabeçada certeira de Varane e um frangaço de Muslera, após chute de Griezmann, foram suficientes para carimbar a vitória por 2 a 0. Os gols franceses saíram nas duas únicas finalizações que chegaram até a meta uruguaia. A França, agora, enfrentará Brasil ou Bélgica em busca da vaga na final.

Mesmo sem Cavani, desolado no banco, o Uruguai jogou de igual para igual desde o início. Sólido na defesa, sem dar espaços a Mbappé e Griezmann, o time de Óscar Tabárez assustava quando ia ao ataque, e chegava a pressionar a saída de bola francesa. Logo aos quatro, Laxalt arrancou pela esquerda e cruzou, mas Stuani não conseguiu a finalização. Um minuto depois, o substituto de Cavani recebeu de Suárez e bateu com perigo, na rede pelo lado de fora.

O primeiro susto da França foi pelo alto, aos 16. Pavard cruzou e Giroud ajeitou para Mbappé, livre, mas o camisa 10 pulou sem jeito e cabeceou por cima da meta. Aos 34, Mbappé foi com muita velocidade ao fundo e ganhou fácil de Laxalt na corrida. Ao bater rasteiro para a área, no entanto, ninguém apareceu para completar a jogada.

>> Confira as chaves da segunda fase

Novamente no jogo aéreo, a França encontrou o gol. Em falta cobrada por Griezmann, aos 40, Varane se livrou da marcação e subiu sozinho para desviar de cabeça no canto, sem chances para Muslera. Foi a única finalização francesa que acertou o alvo em todo o primeiro tempo.

Na mesma moeda, aos 44, o Uruguai quase empatou. Torreira bateu falta na área e Cáceres cabeceou no cantinho, mas Lloris se esticou todo e fez grande defesa. Com pouco espaço no rebote, Godín isolou.

Apesar do gol, a partida seguiu equilibrada na volta do intervalo. Logo aos três, os franceses tiveram uma pequena demonstração de quem mais os ajudaria na etapa final. Com a bola no pé, Muslera tentou driblar Griezmann na pequena área e quase sofreu o gol no desarme. Aos 16, aconteceu o lance que definiu de vez a passagem da França para a semifinal.

Em chute despretensioso de Griezmann de fora da área, em cima de Muslera, o goleiro se atrapalhou na hora de defender e ficou com as penas do frango na mão, vendo a bola morrer mansamente em seu gol. Um frangaço que ficará eternizado na história das Copas.

O que já estava difícil ficou impossível. Além do desfalque de Cavani, o Uruguai sentia muito a atuação tímida de Suárez, que pouco apareceu em campo. Seus parceiros, Stuani e depois Maxi Gómez, tampouco foram efetivos na frente. E até a motivação para buscar a reação sofreu uma queda brusca, pela forma como aconteceu o segundo gol.

Os minutos finais foram de puro deleite para a torcida francesa, que se divertia aos gritos de olé enquanto sua seleção trocava passes à espera do apito final. Inconsolável, o zagueiro uruguaio Giménez desabou em lágrimas aos 43 minutos, quando estava na barreira para uma cobrança de falta de Griezmann.

Uruguai: Muslera; Cáceres, Giménez, Godín e Laxalt; Torreira, Nández (Urretaviscaya), Vecino e Bentancur (Cebolla Rodríguez); Stuani (Maxi Gómez) e Suárez.

França: Lloris; Pavard, Varane, Umtiti e Lucas Hernández; Kanté, Pogba e Tolisso (N’Zonzi); Mbappé (Dembélé), Giroud e Griezmann (Fékir).

Juiz: Néstor Pitana (Argentina).

Cartões amarelos: Bentancur e Cebolla Rodríguez; Lucas Hernández e Mbappé.