A ambição da Bélgica enfrenta um Japão disposto a fazer história

Após uma campanha perfeita na fase de grupos, com três vitórias, a Bélgica buscará na segunda-feira em Rostov (15h00 de Brasília) sua vaga nas quartas de final da Copa do Mundo da Rússia-2018 contra um Japão que sonha com sua melhor campanha na história.

"Honestamente, estou feliz com nossa preparação", afirmou o técnico da seleção belga, o espanhol Roberto Martínez, após a vitória de 1-0 sobre a Inglaterra, na terceira rodada do Grupo G, com um time formado por nove reservas

A Bélgica chegou à Rússia como uma das equipes que deveriam ser observadas. Na fase de grupos confirmou seu status de candidata ao título com uma geração de jogadores talentosos, muitos deles titulares em grandes clubes europeus. Antes do jogo contra os ingleses, os belgas venceram o Panamá por 3-0 e a Tunísia por 5-2.

O primeiro lugar no Grupo G deixou os belgas no lado, a princípio, mais difícil da chave, com a possibilidade de enfrentar o Brasil nas quartas de final, mas Martínez sabe que antes de mais nada é preciso vencer o Japão na segunda-feira em Rostov.

"É uma equipe muito dinâmica, bem organizada. O futebol japonês é muito forte, esperamos uma batalha. Nós os conhecemos bem, mas eles também nos conhecem", disse Martínez.

Os belgas venceram os japoneses por 1-0 em um amistoso disputado em novembro do ano passado, mas as equipes mudaram desde então.

- Titulares de volta -

Após o descanso contra a Inglaterra, Martínez voltará a escalar os 11 titulares contra os japoneses, o que significa o retorno de jogadores como Romelu Lukaku, vice-artilheiro da Copa com quatro gols, e Eden Hazard, o camisa 10.

O Japão, que chega pela terceira vez em sua história às oitavas de final de uma Copa, teve uma primeira fase que começou bem e terminou de modo irregular: vitória sobre a Colômbia (2-1) na estreia, empate com Senegal (2-2) e derrota para a Polônia (1-0).

Empatados com os senegaleses em quase todos os critérios de desempate, os japoneses garantiram o segundo lugar do Grupo H porque receberam menos cartões amarelos em três partidas.

O técnico Akira Nishino admitiu que pediu aos jogadores que administrassem o placar contra a Polônia e confiassem no resultado do jogo entre Senegal e Colômbia (1-0 para os sul-americanos), para garantir a vaga.

Mas agora o treinador japonês, que assumiu o cargo apenas dois meses antes da Copa, não pode pedir contenção a seus atletas.

" A Bélgica é uma equipe de nível mundial e será um desafio fantástico para nós", disse Nishino.

Os 'samurais azuis' buscam uma classificação histórica para as quartas de final em um Mundial. Nishino apela à concentração e ao entusiasmo da equipe.

"Quando se trata do poder de união como equipe, o Japão é melhor que a Bélgica", afirmou o meia Takashi Usami.

Nishino também poupou titulares contra a Polônia que devem retornar ao time.

Outra possibilidade é a permanência na equipe do atacante Shinji Okazaki, que chegou contundido à Rússia, jogou alguns minutos contra Colômbia e Senegal e foi titular contra a Polônia.

Prováveis escalações:

Bélgica: Courtois - Alderweireld, Vermaelen, Jan Vertonghen - Meunier, Axel Witsel, Kevin de Bruine, Carrasco - Mertens, Lukaku, Eden Hazard. Técnico: Roberto Martínez (ESP)

Japão: Kawashima - Sakai, Yoshida, Shoji, Nagatomo - Haraguchi, Hasebe, Takashi Inui, Shinji Kagawa, Gaku Shibasaki - Okazaki (ou Osako). Técnico: Akira Nishino

Árbitro: Malang Diedhiou (SEN)

bur-gr/psr/fp