Colômbia derrota o Senegal e garante vaga nas oitavas: 1 a 0

Samara-  O jogo foi dramático e aberto até o fim, espelho da própria situação do Grupo H, onde três equipes tinham chance de classificação para as oitavas de final na última rodada. Mas a Colômbia venceu o Senegal, que jogava pelo empate, por 1 a 0, gol do zagueiro Mina, aos 28 do segundo tempo, e garantiu a sua vaga. A seleção africana terminou empatada com o Japão, mas foi eliminada por ter dois cartões amarelos a mais do que os japoneses.

As equipes começaram o jogo se estudando muito e arriscando pouco. Até os 9 minutos, só a torcida, representada por mais de 30 mil apaixonados colombianos  dos 41.970 presentes, davam show na Arena Samara.

O Senegal usava e abusava de seu vigor físico e marcação pesada. Até que aos 11 minutos, Falcao García sofreu falta bem perto da área. Quintero bateu de esquerda, bem colocado, mas o goleiro senegalês mandou para escanteio, afastando o perigo.

A seleção do Senegal trabalhava o contra-ataque quando aos 16 minutos o zagueiro Sanchéz derrubou Mané dentro da área. O árbitro sérvio deu o pênalti,   o VAR não confirmou e ele foi consultar as imagens,  voltando atrás de sua equivocada decisão. Alívio dos colombianos e decepção senegalesa.

>> Confira as chaves da segunda fase

>> Veja a tabela do Grupo H

Quase na metade do primeiro tempo, a equipe colombiana errava passes bobos, parecendo nervosa. O Senegal se aproveitava disso e passou a dominar o meio de campo. Numa jogada do ataque colombiano, Quintero cobrou falta na cabeça de Falcao García, que finalizou por cima do gol de N'Diaye, levantando a torcida.

O Senegal respondeu aos 26: Mané partiu pela esquerda, tentou a jogada, mas a zaga colombiana rebateu. Depois, Keita arriscou, mas Ospina defendeu.

Aos 30 minutos, um golpe para a Colômbia: o craque James Rodríguez parece ter sentido uma lesão  na panturrilha esquerda, que sofreu antes da Copa, e foi substituído pelo atacante Muriel. Desolado, ele foi direto para o vestiário e nem quis acompanhar o jogo do banco de reservas.

Com a vantagem do empate, Senegal fazia o certo: marcava forte, diminuía os espaços do campo e não deixava a Colômbia criar. A situação estava tão tensa para a Colômbia que, aos 38, Quintero, com fisionomia preocupada, foi à beira do gramado conversar com o técnico Jose Pekerman.

Com o resultado parcial favorecendo sua classificação, Senegal segurou a bola até o fim do primeiro tempo, mexendo com os nervos da torcida colombiana, que vaiou até o apito do juiz.

No segundo tempo, só restava aos colombianos partir para o ataque em busca do único resultado que interessava: a vitória. Bem que a Colômbia tentava partir para a frente, mas Cuadrado, que sofria marcação cerrada,  errava muitos passe e não conseguia se aproximar do ataque.

Finalmente aos 10, os colombianos conseguiram uma boa jogada: Mojica cruzou na área, mas a defesa senegalesa afastou o perigo.

E aos 14 minutos, a melhor jogada não aconteceu no gramado de Samara, mesmo assim a  torcida colombiana enlouqueceu: gol da Polônia sobre o Japão, resultado que naquele momento  classificaria os Cafeteiros para a próxima fase. Incentivo a mais para os colombianos buscarem a vitória.

 E aos 19, a Colômbia levou perigo real à defesa do Senegal: em rebote de cobrança de falta, Muriel pegou de primeira e mandou para o gol. Koulibaly fez o corte para escanteio. Quintero cobrou o escanteio pela direita na direção de Falcao García, que cabeceou sobre o gol de N'Diaye.

A essa altura, até James Rodríguez voltou do vestiário para reforçar a torcida e incentivar seus companheiros da beira do campo. 

E deu certo. Aos 28, numa jogada aérea, sem marcação, Mina subiu  em cobrança de escanteio, subiu maiss alto do que todo mundo e marcou o gol colombiano.

A pressão mudou de lado, já que o resultado classificaria o Japão  e eliminaria o Senegal. E a seleçãoa africana partiu para cima e aos 31, Niang recebeu dentro da área, tirou Mina da jogada e finalizou, obrigando Ospina a fazer grande defesa.

O jogo pegou fogo e em cobrança de escanteio pela direita, Ospina pegou a bola após bater em Mina. 

O Senegal tentou até o fim o gol que lhe colocaria de volta na Copa, mas os colombianos estavam atentos na defesa e seguravam a bola para ver o tempo passar, já sabendo da derrota japonesa.

Senegal- K.  N'Diaye, Gassama, Koulibaly, Sané, Sabaly (Wague); Kouyaté; Gueye, Sarr, Mané; Keita Baldé (Konaté) e Niang (Sakho)

Colômbia: Ospina, Arias, Mina,Davinson Sánchez; Mojica, Uribe (Lerma), Carlos Sánchez, Juan Cuadrado, Quintero,   e  James Rodríguez (Muriel) ; Falcao (Borja).

Juiz: Milorad Mazic (Sérvia)

Cartão amarelo: Mojica, Niang