Espanha empata com Marrocos e passa em primeiro no Grupo B

Com mais sorte do que juízo, a Espanha empatou em 2 a 2 com o Marrocos e se classificou para as oitavas de final como líder do Grupo B. Os espanhóis tiveram posse de bola esmagadora durante todo o jogo, mas a seleção africana, que ignorou o fato de já estar eliminada, cedeu poucas chances claras e assustou em quase todos os contragolpes.  A equipe de Fernando Hierro precisou correr atrás do resultado em duas oportunidades, e um gol de letra de Iago Aspas nos acréscimos, validado pelo VAR, garantiu o primeiro lugar. A seleção espanhola enfrentará a anfitriã Rússia no próximo domingo, às 11h, no Luzhniki, em Moscou.Mesmo sem balançar a rede, o Marrocos propôs o jogo e tentou ser protagonista nas derrotas para Irã e Portugal. Na hora de enfrentar a Espanha, os africanos foram obrigados a mudar a estratégia, na tentativa de somar ao menos um ponto antes de se despedir do Mundial.  

A mudança se provou efetiva. Fechada na defesa, a seleção marroquina cedeu poucas chances claras e esperou os generosos espaços para contra-ataque que os espanhóis costumam oferecer.  

>> Veja a tabela do Grupo B

>> Confira as chaves da segunda fase

Na primeira oportunidade, aos 14, um autêntico "deixa que eu deixo" entre Sergio Ramos e Iniesta deixou o campo aberto para Boutaïb avançar e bater na saída de De Gea para abrir o placar. Na quarta finalização que chegou à meta do goleiro do Manchester United na Copa, o quarto gol sofrido pela Espanha, e o primeiro marcado pelo Marrocos. 

Demorou pouco para a dupla mais inspirada da seleção espanhola, Isco e Iniesta, deixar tudo igual. Isco iniciou a jogada pela esquerda e passou para Diego Costa, que fez bem o pivô para a infiltração de Iniesta. Com a classe de sempre, o camisa 6 entrou como quis na área e deu ótimo passe para Isco encher o pé e empatar. 

A campeã de 2010 seguiu apostando no entendimento entre Isco e Iniesta para incomodar a defesa marroquina. As jogadas eram todas concentradas no setor esquerdo, por vezes com o auxílio de Thiago. Mais à direita, David Silva era quase um espectador da partida. 

Em outra bobeira da defesa espanhola, uma cobrança de lateral atrás do meio-campo quase terminou em gol. Boutaïb entrou – de novo – livre na área, mas De Gea fez sua primeira defesa na Copa para evitar o segundo, aos 25. Para diminuir o ritmo da posse espanhola, os marroquinos não poupavam entradas duras. Foram quatro cartões amarelos só no primeiro tempo, todos por infrações violentas.  No último lance de perigo da etapa inicial, Iniesta fez mais uma ótima jogada pela esquerda e cruzou rasteiro para Diego Costa, que só conseguiu resvalar na bola e errou o alvo. O cenário se manteve inalterado no segundo tempo. A Espanha esmagava na posse de bola, mas o Marrocos assustava quando ia ao ataque. 

De fora da área, Amrabat carimbou o travessão aos dez, em belo chute com a parte externa do pé. A resposta veio com Isco, que subiu no terceiro andar e cabeceou no contrapé de Munir, mas Saïss tirou em cima da linha. Novamente pelo alto, Piqué cabeceou após escanteio de Isco, e a bola tirou tinta da trave. 

O técnico Fernando Hierro apostou em Aspas e Asensio nas vagas de Diego Costa e Thiago para transformar a posse em gol. Mas quem marcou foi o Marrocos, com o dedo de Hervé Renard. Fajr, que entrara no lugar de Belhanda, cobrou escanteio na cabeça de En-Nesyri, substituto de Boutaïb. O atacante ganhou disputa aérea de Ramos e cabeceou no ângulo para recolocar os africanos na frente. 

Desesperada pelo empate, a Espanha contou com a ajuda do VAR para conseguir o gol que lhe garantiu a liderança do grupo. Após cobrança curta de escanteio, Carvajal cruzou e Aspas fez um golaço ao completar de letra para a rede. A primeira marcação foi de impedimento, mas o árbitro Ravshan Irmatov consultou as imagens e validou o gol depois de confirmar que o atacante espanhol estava na mesma linha.

Espanha: De Gea; Carvajal, Piqué, Sergio Ramos e Alba; Busquets, Thiago (Asensio) e Iniesta; David Silva (Rodrigo), Diego Costa (Iago Aspas) e Isco. 

Marrocos: Munir; Dirar, Manuel da Costa, Saïss e Achraf Hakimi; El-Ahmadi, Boussoufa, Nordin Amrabat, Belhanda (Fajr) e Ziyech (Bouhaddouz); Boutaïb (En-Nesyri).  

Juiz: Ravshan Irmatov (Uzbequistão).  

Cartões amarelos: El-Ahmadi, Nordin Amrabat, Manuel da Costa, Boussoufa e Munir.