Espaço para minorias durante a Copa é obrigado a mudar de lugar em São Petersburgo

Um espaço dedicado especialmente a combater a discriminação a torcedores homossexuais ou de minorias étnicas, batizado como Casa da Diversidade, teve que mudar de localização no último momento em São Petersburgo, em uma decisão que alguns consideram ter motivações políticas.

Os proprietários do edifício em que havia sido instalada a Casa da Diversidade, criada para que as pessoas acompanhassem as partidas da Copa do Mundo em um ambiente de luta contra as discriminações, afirmaram aos organizadores poucos dias antes da inauguração o fim da colaboração com o projeto.

Piara Powar, diretora da Fare (Football Against Racism in Europe), que supervisiona a iniciativa, disse que a forma como a decisão foi tomada é "familiar" aos grupos de defesa dos direitos humanos em São Petersburgo.

"Reconhecem como o método com o qual as autoridades da cidade vão contra as atividades que não respondem a suas políticas", afirmou em um comunicado.

Powar considera que a decisão de último momento parece "um ataque político dos que mostram como os debates sobre direitos humanos são limitados pelas poderosas forças conservadoras políticas da Rússia".

Ela afirmou no mês passado à AFP que sua organização havia obtido garantias das autoridades russas para a instalação das Casas da Diversidade em Moscou em São Petersburgo.

A Casa da Diversidade de Moscou foi inaugurada na semana passada e já recebeu diversos eventos no centro da capital.

O ativista britânico Peter Tatchell foi detido por algumas horas na quinta-feira, dia de abertura do Mundial, por um protesto no centro de Moscou contra a política do governo de Vladimir Putin a respeito da comunidade LGTB.

Em 2013, uma lei que contempla multas e até pensa de prisão foi aprovada para combater a "propaganda homossexual" diante de menores de idade, uma questão que provocou muitos protestos internacionais.

tm-mk/dr/psr/fp