Acompanhe minuto a minuto Argentina x Islândia

 Uma Copa do Mundo costuma ser feita de grandes seleções, craques, zebras e histórias cativantes. O confronto entre Argentina e Islândia, hoje, às 10h, promete reunir todos esses ingredientes para dar início ao Grupo D. Lionel Messi, que pode estar em seu último Mundial, é a única certeza em meio às dúvidas que pairam sobre a geração que já amarga três vice-campeonatos consecutivos – dois na Copa América e um na Copa de 2014. 

Contratado com o objetivo de melhorar o desempenho da equipe, e não só de seu craque, Jorge Sampaoli segue sem convencer no comando da seleção argentina, que só carimbou o passaporte para a Rússia na última rodada das eliminatórias. Sampaoli precisará mostrar que é mesmo o técnico mais capaz de conduzir os  “hermanos” ao primeiro título desde 1993. O discurso é de otimismo, justificado pela intensa preparação para o torneio. 

Acompanhe minuto a minuto

“Chegamos consolidados com uma ideia, muito bem preparada. Espero uma Argentina decidida, com muitos valores para demonstrar que segue sendo uma potência futebolística”, declarou Sampaoli.

Para repetir a coreografia de comemoração que contribuiu para a Islândia conquistas fãs ao redor do mundo, a equipe tenta ir além do que mostrou nos amistosos preparatórios. Apesar de ter se classificado de forma direta – e inédita – com a liderança de seu grupo nas eliminatórias, os islandeses acumularam quatro derrotas, dois empates e apenas uma vitória após a confirmação da vaga. 

O treinador Heimir Hallgrímsson, que é dentista e comanda a seleção de seu país nas horas vagas, rejeita o rótulo de zebra. “Quem acha que somos uma surpresa não sabe muito sobre a seleção da Islândia”. Halgrímsson também brincou com o tamanho da Islândia. “Conhecemos mais os nossos torcedores do que os outros técnicos conhecem os deles. Para outras nações, isso seria impossível, mas essa é uma das nossas particularidades e podemos maximizar nosso potencial com esse pensamento positivo”, acredita o técnico.

Argentina: Caballero; Salvio, Otamendi, Rojo, Tagliafico e Mascherano; Biglia, Meza, Di María e Messi; Agüero.

Técnico: Jorge Sampaoli

Islândia: Halldórsson; Saevarsson, Árnason, Sigurdsson, Magnússon e Gunnarson; Hallfredsson, Sigurdsson, Gudmunsson e Finnbogason; Bjarnason.

Técnico: Heimir Hallgrímsson