Hernanes e Jô dão conta do recado e viram armas de Felipão na reserva

Nos dois primeiros jogos da Copa das Confederações, os mesmos três reservas deixaram o banco para defender a Seleção Brasileira. Além do preferido da torcida Lucas, Hernanes e Jô foram os escolhidos para dar descanso a titulares e manter o ritmo do time no segundo tempo. A repetição nas substituições indica, mais que coincidência, a confiança que Luiz Felipe Scolari tem nestes jogadores.

Nos minutos em que estiveram em campo, principalmente Hernanes e Jô corresponderam ao esperado. Lucas não foi mal, mas a alta expectativa em seu futebol junto aos insistentes pedidos da torcida fazem com que ele seja mais cobrado.

Entre os três, Hernanes acumulou mais minutos jogados, com 53 ao todo. Neste mais que um tempo em campo, o meio-campista melhorou a distribuição de jogo do time, abriu espaços e deu mais força às vozes que pedem seu nome entre os titulares no lugar de Luiz Gustavo.

Porém, em nenhum dos dois jogos, o jogador atuou ao lado de Paulinho como volante. Substituindo Hulk contra o Japão e Oscar diante do México, a presença de Hernanes teve como intenção de Felipão um meio-de-campo mais fechado e cadenciado, com um jogador capaz de inversões e lançamentos em profundidade.

Jô, por sua vez, teve os mesmos 13 minutos para mostrar trabalho nos dois jogos, nos quais entrou no lugar de Fred. E, em apenas duas finalizações, se igualou a Neymar como artilheiro da Seleção Brasileira na Copa das Confederações.

O contraste nos números em relação a Fred, no entanto, não indicam uma titularidade a caminho. Felipão tem confiança em seu camisa nove, apesar de muitos críticos reclamarem de sua lentidão e considerarem Jô um jogador capaz de dar mais mobilidade ao ataque e favorecer Neymar.

O coordenador técnico Carlos Alberto Parreira deu sinais claros de que uma mudança definitiva na posição ainda não é cogitada. “Do mesmo modo que vimos anteriormente com o Neymar, em que vocês questionavam o jejum de não sei quantos minutos, agora é com o Fred. Ele tem presença de área e escora bem, como na jogada do gol contra o Japão. Tem que se ter paciência. Ele inclusive deve estar se cobrando, ele goza da confiança, qualquer coisa que acontecer vai depender do tempo”, afirmou.

Hernanes e Jô vislumbram uma possibilidade de mostrarem futebol por mais tempo no duelo contra a Itália neste sábado, na Fonte Nova. O coordenador técnico Carlos Alberto Parreira disse que existe a possibilidade de Felipão preservar jogadores desgastados para as semifinais, já que o Brasil já está classificado.

?“Nós não vamos forçar nenhum jogador, importante ter o time inteiro, classificado já estamos para semifinal, não se falou sobre como será essa partida, Felipão cogitou a possibilidade de poupar um, dois ou três jogadores, pensando já na semifinal”, disse.

Neste quadro, Hernanes é quem mais tem chances de jogar. Paulinho se recupera de um entorse no tornozelo e deve ser preservado devido ao pouco tempo para recuperação. Seu substituto natural é Hernanes, que ainda pode ser opção caso Felipão opte por dar descanso a Oscar, que por conta do alto número na temporada tem saído mais cedo de jogos e treinos.

O futebol confiável demonstrado por Jô também pode fazer o treinador preservar a Fred, que teve uma fratura incompleta na costela recentemente e tem histórico de lesões musculares. O zagueiro Dante é outro jogador que pode ter sua chance contra a Itália para dar a Thiago Silva um respiro antes das semifinais.