Neymar encerra jejum com golaço "de camisa 10" e sai com dores  

Foram nove partidas sem marcar, mas Neymar deixou o gol para um momento importante. Diante de um Estádio Nacional Mané Garrincha com 67.423 pessoas, o maior astro da Seleção Brasileira deu tranquilidade ao time ao acertar um chute de fora da área aos 2min do primeiro tempo e conquistar um público que, se por um lado demonstrou boa vontade desde o início com a equipe, tinha acabado de vaiar o presidente da Fifa, Joseph Blatter, e a presidente da República, Dilma Rousseff. No segundo tempo, Paulinho e Jô marcaram e definiram o placar contra o Japão em 3 a 0.

>> Brasil abre caminho com golaço de Neymar e vence Japão sem sustos

Efetivado com a camisa 10 a seu pedido, Neymar fez jus ao número com um gol que lembrou os grandes craques que já o vestiram na Seleção. Fred ajeitou e o atacante acertou de primeira, da entrada da área, no ângulo esquerdo do goleiro japonês Kawashima. Em 2min, Neymar amenizou as cobranças por uma atuação mais decisiva nesta temporada e conseguiu o que deixou de fazer quando estreou no Mané Garrincha, no empate por 0 a 0 entre Santos e Flamengo.

O gol comprovou ainda apoio que Neymar tem no grupo. Durante toda a preparação, jogadores e o técnico Luiz Felipe Scolari protegeram o craque das críticas a ajudaram na “blindagem” até a estreia. Após comemorar com uma dancinha, ele foi erguido por Fred e abraçado por quase todos os seus companheiros.

A eficiência e Neymar contrastou com a falta de pontaria do jogador no período de jejum. Levantamento a partir de números Footstats mostravam que o jogador tinha errado o alvo em 26 de 42 conclusões que havia tentado, no Santos e na Seleção Brasileira. Até o final do jogo, o atacante tentou apenas mais um arremate, e errou. Mas a partida eficiente foi completada com apenas um erro de passe em 35 tentados.

A estreia de Neymar na Copa das Confederações foi encerrada aos 27min do segundo tempo, quando Felipão decidiu poupá-lo e o trocou por Lucas. Cinco minutos antes, o jogador sofreu uma pancada e passou a sentir dores. Felipão não quis correr riscos e acabou poupando o seu astro também da chuva, tão rara em Brasília nesta época, que começou a cair minutos mais tarde.

"Nada preocupante, foi só uma 'paulistinha' nas costas, está tudo certo. Contra o México estará 100%", assegurou Neymar na saída do campo.