Felipão reduz pressão por jogar em casa: 'história de ganhar é a mesma'

Em sua primeira entrevista oficial organizada pela Fifa para a Copa das Confederações, o técnico Luiz Felipe Scolari disse que jogar no Brasil não leva pressão extra para a Seleção Brasileira a partir da estreia neste sábado, contra o Japão, em Brasília.

Com a experiência de ter conduzido Portugal em casa na Eurocopa de 2004, o treinador admitiu que é necessário alguns cuidados diferentes, mas que a essência das cobranças é a mesma em qualquer lugar de disputa.

“A pressão é normal de uma equipe que joga as competições como joga o Brasil. Somos vistos como um dos grandes candidatos ao titulo jogar fora não nos causa alguns problemas que estamos vivendo neste momento em situação de treinamento, cuidados que estamos tendo”, afirmou.

“Entrar pressionado é normal como uma equipe do Brasil. Sendo uma das apontadas como favorita. Não vai mudar nisso. Jogar em casa em alguns aspectos é diferente, mas a história de ganhar é a mesma”, completou.

O treinador ainda lembrou a campanha do vice-campeonato português para comentar a importância da partida de estreia na competição; Naquela oportunidade, uma derrota fez com que o time ficasse mais pressionado.

“Me lembro da competição com meu amigo Jorge Batista em Portugal. Perdemos o primeiro jogo no Porto para a Grécia e depois classificamos com duas vitórias. Perder o primeiro jogo em casa perder é horrível, ambiente fica difícil de administrar. Torcedores, publico, imprensa, jogadores, não deve se passar”, afirmou.