Para italiano, seleção da Espanha pode superar Brasil de Pelé

O técnico Giovanni Trapattoni, que comanda a seleção da Irlanda, vê com bons olhos o desempenho da atual geração da Espanha. Segundo o veterano italiano, que enfrentou os espanhóis em amistoso na cidade de Nova York, o time comandado por Vicente del Bosque pode até mesmo superar tecnicamente o desempenho da Seleção Brasileira da Copa de 1970.

Em depoimento ao jornal As, Trapattoni disse que a Espanha é mais forte do que era em 2012. “Eles são capazes de jogar com os olhos fechados, por isso é praticamente impossível neutralizar o toque de bola de seus meio-campistas. Nunca havia visto uma equipe jogar com tanta precisão e com tanta velocidade. Eles são até mais fortes e mais fortes que o Brasil de Pelé”, disse o comandante da Irlanda.

Para o italiano, que comandou equipes como Juventus, Inter de Milão, Milan, Bayern de Munique, Fiorentina, Benfica e Stuttgart, a equipe ibérica pode ser “a primeira seleção da Europa a conquistar um Mundial na América do Sul”. Até hoje, as equipes europeias conquistaram títulos apenas em seu próprio continente – exceção feita à Espanha, campeã mundial em 2010 na África do Sul.

O treinador se disse admirador do futebol espanhol, pelo aperfeiçoamento da tática e do jogo físico. “É justamente o que tinha o grande Brasil que todos admiramos, o Brasil de Pelé. Mas a Espanha faz algo parecido, mais rápido e mais preciso. Eles não têm Pelé, mas têm talento em mais jogadores que os brasileiros: Xavi, Silva, Iniesta, Mata... E têm uma defesa insuperável, com Ramos e Piqué”, analisou.

O treinador irlandês prevê que a Copa das Confederações será uma experiência “apaixonante”, e diz que todos os amantes do futebol esperam um jogo Brasil x Espanha na Estádio do Maracanã para a decisão. Ainda assim, lembra que ambos terão que superar “rivais muito fortes”, e cita o calor e a umidade do Brasil como um obstáculo para o time de Vicente del Bosque.