A favela no congresso de Design

Esta semana apresentei o artigo "Design, Cultura Material, Artesanato e Memória" no P&D 2016 - Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design em Belo Horizonte. O artigo, desenvolvido na Pós-Graduação em Design da PUC-Rio em parceria com o Museu de Favela – MUF, é de minha autoria junto com os pesquisadores Niltom Gamba Junior e Jorge Langone (Dhis/PUC-Rio).

O artigo apresenta um resumo do trabalho de pesquisa desenvolvido no MUF, localizado na favela do Cantagalo, no Rio de Janeiro. A pesquisa realizou oficinas colaborativas de capacitação com artesãs-moradoras, participantes do museu: Antonia Soares e Helena Benedito. O objetivo foi de criar uma metodologia, por meio da pesquisa-intervenção que capacite as artesãs para análise da imagem no desenvolvimento de seus produtos. Todas etapas foram construídas através da troca de conhecimento entre a comunidade e a universidade, gerando assim um conhecimento compartilhado. 

A pesquisa possibilitou a consolidação da relação da universidade com a comunidade apontando e registrando memória, materialidade e linguagem de um grupo de mulheres que fazem parte da história dos morros do Cantagalo, Pavão e Pavãozinho, resultando em uma exposição construída com técnicas de artesanato local. A metodologia do Design Participativo possibilitou usar o design como um caminho para o registro e materialização da memória destas comunidades.

A apresentação foi muito proveitosa e foi mais uma forma de mostrar a história e realidade dos moradores de favela, além de mostrar que o design pode ser levado para as comunidades, oferecendo soluções e possibilidades de desenvolvimento em parceria com os moradores.

* Davison Coutinho, morador da Rocinha desde o nascimento. Bacharel em desenho industrial pela PUC-Rio, Mestre em Design pela PUC-Rio, membro da comissão de moradores da Rocinha, Vidigal e Chácara do Céu, professor, escritor, designer e liderança comunitária na Comunidade