Não há espaço para pensar a cidade sem dar à favela a devida importância

Se mantém intensa a articulação e mobilização nas e das favelas, neste período de incertezas e desconfianças. Cada vez mais se percebe o quanto é preciso mudar, na forma e no jeito, a maneira como a governança é exercida nestes espaços.

O que vai se desenhando é um cenário sem propostas concretas e consistentes para o propositalmente criado "problema" da favela. Ou ainda, a consolidação da favela, ela mesma como problema principal.

Problema que tem como  constante ameaça, as remoções, o medo cotidiano da perda da vida, além é claro da recorrente exposição às violências.

Próximo de um dos pleitos mais importantes, o que está diretamente ligado à vida na cidade e em como ela se estabelece, é necessário que hajam direcionamentos claros e realistas nesse sentido. 

Não há mais espaço para pensar a cidade sem dar às questões inerentes à favela o devido lugar e a devida importância.

Favela é Cidade!

* Consultora na Ong Asplande, pesquisadora, membro da Rede de Instituições do Borel e Colunista do Jornal do Brasil.