Jornal do Brasil

Visto de Fora

Visto de Fora

Miguel Paiva

Governo do Contra

Jornal do Brasil MIGUEL PAIVA

Não podemos dizer que o Governo Bolsonaro não é um governo do contra. Contra o senso comum, contra a modernidade, contra a ecologia, contra o progresso e contra o desenvolvimento humano. Basta ver todas as medidas tomadas ou que pretendem ser tomadas, ou que já foram ameaçadas e retrocederam mas continuam em pauta. Tudo que conseguimos alcançar neste pobre país dos trópicos nas últimas décadas em termos de progresso o governo Bolsonaro está querendo derrubar.

É uma compulsão. Assim como ele tem compulsão por armas de grosso calibre tem por tomar medidas que ninguém no mundo moderno tomaria. Ele toma. Olhem só:

CONTROLE DE ARMAS- Cansados de assistir tragédias no mundo inteiro as pessoas estão tomando consciência de que armas nas mãos da população são um perigo. Cabe ao Estado proteger as pessoas e não às pessoas se autodefenderem. Os americanos são especialistas e por isso Bolsonaro quer imitar e dar uma arma para cada cidadão "de bem".

AMOR INTENSO COM ISRAEL- Falando em armas ele foi até Israel tirar uma foto com um fuzil na mão, outra foto no Muro do Mimimi e outra foto de quipá. Criou um problema enorme diplomático e com os agro-produtores do Brasil que vivem da exportação para os árabes. E ainda despejou a pérola de dizer que o nazismo era de esquerda. Mas ele diz.

RADARES NAS ESTRADAS- Os radares são chatos? São. Tiram o dinheiro da gente? Tiram. Mas vocês conhecem outro modo de diminuir o excesso de velocidade nas estradas que não seja meter a mão no bolso do motorista? Trabalho educacional não é feito e quando é feito é mal feito e nada acontece. Agora o Bolso quer livrar o bolso dos motoristas e liberar a gandaia geral nas estradas. Ele faz.

PREVIDÊNCIA- Eles não querem saber. Estão tentando empurrar goela abaixo essa reforma que tira o dinheiro dos empregados e emprega nos bancos através da capitalização. Afinal este é o projeto central deste governo sem projeto. Paulo Guedes, o tranquilão e sua turma estão aí para aprovar esse desvio de capital para enriquecer mais ainda os bancos. E o Bolsonaro topa.

SALÁRIO MÍNIMO- Pouco mais de 3 meses e ele já avisou na maior cara de pau que vai reajustar o mínimo abaixo da inflação. Ou seja, pau no assalariado que insiste em ser pobre e querer ser feliz. O Bolsonaro decreta.

AUMENTO DOS REMÉDIOS- Bolsonaro liberou um aumento para a indústria farmacêutica que não tem mais onde colocar dinheiro. Pobres, não fiquem doentes. Não vai dar para resolver o problema. Sorry.

RESERVAS INDÍGENAS- Contra o movimento mundial de preservação da Amazônia e das florestas o governo sem o menor pudor decreta que vai liberar as reservas indígenas para a exploração comercial, industrial e o escambau. Apito nele.

BASE DE ALCÂNTARA- Já que vai entregar a Amazônia entrega também a base de Alcântara. Afinal, o Brasil não tem que lançar foguete. Já bastam os rabos de foguetes que pegamos. Deixa para quem sabe lançar no espaço nossa autonomia, nossas fronteiras e nossa independência.

MILITARES NO GOVERNO- Quando nem mais os militares querem entrar nessa roubada o presidente vai lá e convoca. Como ele não sabe o que fazer e a única formação que teve foi a militar acha que os militares sabem tudo. Educação, engenharia, cultura, medicina. Tudo os militares sabem então ele chama.

FIM DA CULTURA- Uma das melhores coisas que o Brasil tem é a diversidade cultural e a capacidade de transformar isso em música, teatro, cinema e artes em geral. O que o governo faz? Acaba com isso. Vira tudo Cidadania. O cinema não tem mais como produzir, o teatro está falido, a literatura tentando respirar num país onde ninguém mais lê. Mas ele prefere assim.

IDEOLOGIA DE GÊNERO- A partir de hoje todo mundo é igual só que os homens brancos, héteros, ocidentais e de direita são mais iguais que os outros. O resto é mimimi. E quem reclamar leva cacete do Alexandre Frota.

O GURU OLAVO DE CARVALHO- Quando já estava sendo praticamente esquecido até pelos seus discípulos Olavo foi ressuscitado e resiste ao tempo dizendo asneiras, palavrões e criando caso sobretudo com seus aliados. Bolsonaro dá ouvidos mas só deve ter lido a orelha de qualquer livro do Olavo. E alguém já leu?

HORÁRIO DE VERÃO- Uma das poucas coisas boas que o Brasil consegue manter viva é o horário de verão. Dá uma sensação de civilidade, paz, bem estar ver o sol se por depois das 7 da noite. E isso o governo também quer acabar.

Vai sobrar o quê?

Sobra uma pergunta. Vocês acham que isso tudo é melhor do que o que se estava vivendo antes do golpe que tirou a Dilma? De verdade. Vocês estão vendo melhorias reais? Que bom, porque eu não estou.