Jornal do Brasil

Saúde & Alimentação

Saúde & Alimentação

Wilson Rondó Júnior

Entenda os testes para o diagnóstico de Covid-19

Jornal do Brasil WILSON RONDÓ JUNIOR, drrondo@drrondo.com

A previsão é que os laboratórios brasileiros comecem a disponibilizar kits para diagnóstico de Covid-19 de várias metodologias, pois a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o teste do maior número possível de pessoas. Tenho sido questionado por muitos pacientes sobre a validade de testes particulares que estão sendo oferecidos. É importante saber realmente o que vale a pena e tem fundamento em cada momento. Assim, evitam-se erros de diagnóstico e desperdício de dinheiro. Veja abaixo a diferença de cada exame e quando ele tem fundamento.

1. Pesquisa de RNA do vírus RT PCR Covid-19

Este é o que se considera o gold standard, ou seja, o exame aonde se determina a primeira entidade da doença (usam o código genético do vírus) que se estabeleceu no corpo do paciente. Este teste:

•Atinge todas as etapas de potencial infeccioso em indivíduos, apresentando sintomas ou não.

•Baseia-se na detecção do RNA do vírus.

•Pode-se detectar logo nos primeiros dias de infecção.

Este teste identifica mesmo pacientes sem sintomas. Mas é importante lembrar que mesmo assim a pessoa disseminará o vírus entre todos os seus contatos. No caso de quem teve contato com um doente já identificado, é imperativo que ele e seus contatos próximos façam este exame o mais rápido possível e sejam isolados. Essa é a metodologia que foi usada em massa na Coreia do Sul, sendo uma resposta final e precisa sobre a presença do vírus na amostra analisada.

2. Teste para pesquisa de antígeno Covid-19

Todo antígeno, ao entrar em um organismo, se liga a anticorpos ou receptores de célula B, promovendo uma resposta imunológica através dos linfócitos. Neste teste, a detecção também é a partir da instalação do vírus no organismo, sendo usado em fase aguda da doença (entre o 2º e 7º dia após início dos sintomas). Ele:

•Não possui a sensibilidade e a especificidade desejada.

•Porém o resultado é rápido, cerca de 10 minutos, sendo bem útil para indicar o isolamento rápido do paciente. Após isso, deve buscar a confirmação diagnóstica através do PCR Covid-19.

3. Teste para pesquisa de anticorpos IgA Covid-19

Os anticorpos IgA teoricamente são os primeiros a aparecerem, portanto trata-se de um teste de resultado precoce. Em média, eles aparecem cinco dias após o início dos sintomas.

4. Teste para pesquisa de anticorpos IgG / IgM para Covid-19

É o teste rápido mais divulgado. Em média, os anticorpos IgM aparecem 5 dias após o início dos sintomas, e os anticorpos IgG são detectados após o 14º dia do início dos sintomas. A detecção do IgM positivo, a princípio, é resultado de uma exposição recente. Mas há uma possibilidade deste IgM ser residual, ou seja, anticorpos relativos a outra doença que se encontravam no organismo. Neste caso, pode gerar um resultado falso positivo, necessitando cuidado na interpretação e entendimento do momento do paciente. Novamente, é necessária a confirmação diagnóstica através do PCR Covid-19, pois o objetivo não é isolar os IgM positivos e sim os que apresentam carga viral positiva.

Espero que essas informações tenham esclarecido melhor as diferenças entre os testes para o Covid-19. E é sempre importante lembrar: invista na prevenção e mantenha seu sistema imunológico em alta. Esse é o caminho para uma Supersaúde, mesmo em tempos de pandemia.

-

Referências bibliográficas:

•Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)

•Organização Mundial da Saúde (OMS)