Jornal do Brasil

O Outro Lado da Moeda

O Outro Lado da Moeda

Gilberto Menezes Côrtes

Lendas e mistérios da Amazônia

Jornal do Brasil

Olá, leitor.

Para ter acesso a essa e outras matérias e colunas exclusivas, faça o seu login.
Ou assine agora e receba o Jornal do Brasil, impresso ou digital, diariamente.
A opinião e a cobertura dos fatos, isenta e corajosa, que você e o Brasil merecem.

Para mais informações, ligue (21) 3923-4001

Lobby afia as garras na Previdência

Ninguém se iluda. O montante maior do déficit global de R$ 260 bilhões da Previdência é dos segurados do INSS. Mas os salários vão até R$ 5.839,45. E o déficit, que se acentuou quando a grande recessão de 2015-16 alijou 14 milhões de brasileiros da carteira assinada (minguando a arrecadação patronal e dos trabalhadores) pode reverter, em parte, quando a economia melhorar.

O cerne do déficit continua sendo o funcionalismo civil e militar, nas três esferas de poder, onde o teto salarial passa do teto do funcionalismo atual R$ 39,3 mil, após o reajuste de 16,3% aos ministros do STF. Eles crescem exponencialmente, porque quase não há demissão no serviço público e os salários pegam carona em benesses como as do Judiciário ou do Legislativo. Auditores fiscais, policiais federais e membros do MP já estão levantando argumentos para por na mesa tão logo o governo feche a proposta de reforma da Previdência. Esse embate já soterrou outras propostas.

Cada qual quer defender seu quinhão, arguindo que a reforma vai tirar direitos dos bagrinhos da Previdência. A causa é geral, não cabe defender privilégios como aposentarias precoces e isenções. O Judiciário, por exemplo, tem largos períodos de recesso ao longo do ano que permitem curtas viagens de lazer aos funcionários. Quando chega o período das férias mensais (que pode ser dispensável), quem não goza as férias conta o tempo em dobro. Pode isso, Arnaldo?

A matemática da Febraban

A Federação dos Bancos não se emenda. Sua matemática já tentou provar que a queda percentual dos juros foi maior que a da Selic (esta caiu 54%, a taxa dos bancos não chegou a 30%). Agora quer dizer que o recolhimento compulsório está aumentando usando números absolutos de 2018 e de 2010 ou 2015. A matemática da Febraban usa apenas o numerador e ignora o denominador (o total dos meios de pagamento). Como proporção, houve baita queda. Pena que na hora de cobrar os juros os bancos sejam impiedosos. Aplicam os juros compostos (o anatocismo dos juros sobre juros) que chegam a 300% ao ano no cheque especial e a quase isso no cartão de crédito.

Tempo de saudade

Vá com Deus Boechat, companheiro de matérias no Jornal do Brasil quando me chamou para participar de investigações na distribuição viciada de processos no TJ-RJ, em 2004. Ainda acabamos vítimas de processo, depois arquivado. Ricardo, não deixe de atuar aí em cima.

Tempo de férias

A Bradesco Auto RE lançou aplicativo que facilita o aluguel de carro na Localiza Hertz a seus mais de 1,4 milhão de segurados. De amplitude nacional, o serviço ainda dá desconto de 5% na melhor tarifa do dia. E em caso de roubo/furto ou danos, ainda dá direito a carro reserva.