Jornal do Brasil

Informe JB

Informe JB

Jan Theophilo

O imbróglio do 1746

Jornal do Brasil JAN THEOPHILO, jan@jb.com.br

E a gestão do 1746 está virando o novo imbróglio do governo Crivella. A Prefeitura publicou ontem no Diário Oficial o quinto contrato emergencial com a Datametrica, responsável pelo sistema. Segundo levantamento do gabinete da vereadora Teresa Bergher, Crivella já "deu de presente" (já que todos os contratos foram emergenciais) à Datametrica a bagatela de R$ 43,6 milhões em contratos (incluindo este último), tendo pago R$ 28,1 milhões. Contratada desde março/2017, a empresa leva, por mês, R$ 1,5 milhão. E com tantas reclamações do péssimo atendimento do 1746 talvez tivesse sido melhor, por exemplo, ter investido esse valor no pagamento dos terceirizados da Saúde. Em tempo: já há um pregão na rua desde janeiro para a nova gestão do 1746. A notícia seria boa se o custo fosse compatível. O valor estimado é de R$ 84,9 milhões para 36 meses, ou seja, R$ 2,3 milhões por mês. Tal valor mensal está 54% acima do valor mensal dos emergenciais do Crivella e 65% acima do valor mensal de R$ 1,4 milhão contratado pelo governo Paes junto à Contax.

Equilíbrio

E depois de muita articulação caberá à deputada estadual Renata Souza, que foi do gabinete da vereadora Marielle Franco, presidir a cobiçada Comissão de Direitos Humanos da Assembleia. A composição para quem imaginava um apocalipse com a eleição da bancada do PSL até que ficou equilibrada, com nomes como Carlos Minc (PSB), Marta Rocha (PDT) e Waldeck Carneiro (PT).

Mais Jair que o Jair

A função de cosplay de Bolsonaro na comissão caberá ao deputado Márcio Gualberto , ex-inspetor da Polícia Civil de perfil ultraconservador e ligado ao movimento de direita católico Centro Dom Bosco.

Banco de reservas

Mas ala heavy metal do PSL não ficou satisfeita. Se Márcio vacilar na contraposição ao PSOL, o partido escalou como suplente Felipe Poubel, casado com a deputada federal Fabiana Silva, major da PM.

À margem da crise

Passando à margem da crise, a MedRio Check-up cresceu 15% em 2018, com relação ao ano anterior com atendimentos tanto nas unidades de Botafogo quanto na da Barra, totalizando cerca de 10 mil exames (60% em homens e 40% em mulheres). Porém, a clínica registrou uma piora na qualidade de vida dos executivos, o que gerou uma nova campanha para este ano sobre a importância do diagnóstico precoce.

Fortes sinais

Sinais de forte estresse foram diagnosticados em 65% dos pacientes. Em 2017, essa taxa era de 60%. A taxa de insônia cresceu de 22% para 25%, enquanto que 18% dos pacientes demonstraram sofrer de ansiedade, contra 15% no ano anterior. O levantamento ainda mostra aumento nos casos de executivos com hipertensão (19% para 21%) e diabetes (6% para 8%).

LANCE LIVRE

Haroldo Costa escolheu a fantasia de Fellini para vestir o lendário mestre Mug, que vai comandar a bateria do Baile de Gala do Copacabana Palace, que terá como tema o carnaval italiano. Katia Mariz lançou a nova coleção da Lukey bags, no segundo piso do Shopping Leblon. O cortejo do Rei Momo vai circular de VLT na quinta-feira. O bonde da folia acontece a partir das 10h com saída do Santos Dumont até a Rodoviária Novo Rio passando por redutos da folia no Centro.