Menos é mais

Governos vivem de sinais e mensagens. E a mensagem que o governador W2 passou esta semana durante um jantar com a bancada do PSD deixou de cabelos em pé o mais conservador dos integrantes da cúpula do partido. Witzel deixou clara sua intenção de fazer do confronto radical com os traficantes dos morros do Rio de Janeiro uma de suas marcas de governo. E num arroubo retórico chegou a anunciar a pretensão de participar de uma operação policial, de colete e fuzil, liderando a tropa. Antes que entrasse em maiores e mais comprometedores detalhes, o senador Arolde Oliveira, com toda a gentileza e educação que lhe são particulares, conseguiu interromper o crescente belicoso do atual ocupante do Palácio Guanabara e mudou o rumo da prosa. Como é de conhecimento de qualquer pessoa que tenha tido o mínimo interesse de estudar a complexa questão do tráfico de drogas no Rio, medidas contra o varejo dos morros não passam de operações enxuga-gelo que passam ao largo daqueles que são os verdadeiros e perigosos traficantes de drogas. Para nossa má sorte, Witzel, aparentemente, ainda não desceu do palanque.

Polêmica a vista

O deputado Rodrigo Amorim, da ala heavy metal do PSL, quer mesmo cutucar o vespeiro. Normalmente se faz uma única cerimônia para entrega de uma moção de “congratulações e aplausos” a alguma operação policial. Rodrigo quer duas, uma no Bope e outra no Batalhão de Choque pela operação que resultou na morte de 13 pessoas no morro do Fallet, semana passada. A ideia é manter o debate fervendo.

Pelas beiradas

Por mais impopular que seja, é grande a briga pela relatoria da Reforma da Previdência na Câmara dos Deputados. Mais de 10 nomes estão sobre a mesa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, com perfis que vão de Kim Kataguiri a Edson Cury (o mais cotado na bolsa de apostas). Pelo Rio, Pedro Paulo corre por fora.

Primeiros 32

O Rio recebeu ontem, oficialmente, a primeira leva de refugiados venezuelanos. São 32 pessoas, incluindo crianças, que serão atendidas pela Coordenação de Políticas de Atenção a Refugiados e Migrantes da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos.

Vou ali....

E ontem na retomada dos trabalhos na Câmara Municipal o destaque não foi o vereador Carlos Bolsonaro, que pra variar entrou mudo e saiu calado, mas sim o major PM Elituzalem Gomes Freitas, do PSC. Em um exteeeeeeeeeeeenso discurso, o edil afirmou aos berros que: “lá fora, a polícia mata bandido e é aplaudida pela população. Aqui o policial é crucificado pela imprensa”. Só que....

...e já volto

A gritaria doeu tanto nos ouvidos dos demais edis que aos poucos o plenário foi se esvaziando, esvaziando, até que a sessão caiu por falta de quórum.

A boemia já era

Bons tempos aqueles em que os boêmios pediam ao sol para não vir agora para não espantar as morenas. Preocupados com a violência no Centro, os organizadores do Baile de Fantasia da Confraria do Copo Furado anteciparam o horário da festa hoje para às 18h, com prazo para terminar às 22h. A entidade foi criada em 1994, por um grupo de apreciadores da cachaça brasileira, que se reunia em bares de Ipanema.

LANCE LIVRE

• Claudio Castro será o anfitrião da exposição de fotos sobre o Rio do cônsul americano Scott Hamilton, em abril, na Casa de Laranjeiras da Sergio Castro Imóveis. Adriana Calcanhotto faz encontro especial de encerramento da turnê “A Mulher do Pau Brasil”, dia 26, às 17h, na Casa do Saber Rio.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais