O jogo vai começar

Passados apenas três dias da posse dos novos deputados estaduais, a Assembleia Legislativa já tem praticamente definido o mapa de qual partido ficará à frente de cada comissão temática da Casa. Para quem não é versado nos ritos parlamentares, é nessas comissões que se dá a maior parte do trabalho dos eleitos. A poderosa Comissão de Constituição e Justiça ficará com Marcio Pacheco (PSC) na presidência, tendo Rodrigo Bacelar do Solidariedade na vice. O PSD indicou o Delegado Carlos Augusto para a Comissão de Segurança. Outra pérola do tesouro, a Comissão de Orçamento coube a Gustavo Tutuca, do sempre alerta (P) MDB, que emplacou também Max Lemos (o que foi sem nunca ter sido), nas Minas e Energia. O tucano Luiz Paulo será presidente da Comissão de Tributação e Controle da Arrecadação. O PSDB apresentou também Lucinha para a Comissão de Segurança Alimentar. Marta Rocha, do PDT, presidirá a Comissão de Saúde e seu colega Thiago Pampolha vai para o Meio Ambiente. O PSOL, para choro e ranger de dentes dos bolsonaristas, levou três comissões: Direitos Humanos, Educação e Cultura (os nomes ainda não foram indicados). A Democracia Cristã emplacou João Peixoto na Agricultura e Marcelo Cabelereiro no Trabalho. Veteranos como Diniosio Lins (PP) e Carlos Minc (PSB) presidirão, respectivamente, a Comissão de Transportes e a de Combate à Discriminação. Ainda existem algumas pequenas questões a superar, mas o quadro está 90% fechado.

Proporcionalidade

A nova composição não vai deixar de fora o PSL, que falou grosso durante as eleições e quase terminou isolado. O partido vai indicar três presidentes de comissões: Gil Viana para Pessoas com Deficiência, Doutor Serginho Para Emendas Constitucionais, e ainda vai definir quem vai para a Comissão de Normas Internas.

Bella Ciao

Além dos nomes do PDT, PSB e PSOL, a esquerda ainda emplacou Zeidan Lula (PT) na Comissão de Política Urbana e a Enfermeira Rejane na Comissão de Defesa da Mulher. Contando o presidente André Ceciliano (PT), já tem gaiato chamando a Alerj de o Novo Farol do Socialismo no Sudeste. Quem diria...

Reage, Rio

E o Brasil perdeu a oportunidade de ser o cenário da 13 edição do Ocupation Double, um reality show para formar casais, megassucesso na TV canadense. Após longa procura, a praia de João Fernandes, em Búzios, chegou a ser escolhida a locação ideal para o programa, que já foi filmado em outros paraísos como na Indonésia ou na Polinésia Francesa.

Só que...

Semana passada, a equipe de produção brasileira recebeu um curto email informando que “apesar de Búzios ser o local perfeito”, o país estava fora da parada. A mensagem informava que “apesar dos comentários reconfortantes sobre o novo governo, os produtores, assim como as seguradoras, não estão confortáveis. Se voltarmos para a 14ª temporada, e a situação estiver estável, o Brasil será novamente considerado”. Parabéns aos envolvidos.

General Mozão

Noca da Portela fez uma paródia com os versos do clássico O General da Banda, de Blecaute, eque anima o carnaval brasileiro há décadas. No novo refrão que criou para a disputa do samba do Barbas deste ano, o refrão é: “mourão , mourão, bota no samba um bom cenário, senão, senão, o canto será um conto do vigário”. Segundo o sambista “é muito importante que todos saibam que mourão começa com letra minúscula no nosso samba. Não confundir com o nome o vice de Bolsonaro”. Tão tá.

LANCE LIVRE

A mostra OLAMAPÁ, com obras referentes aos 20 anos que a artista Katie Van Scherpenberg viveu na Amazônia com seu pai, estará exposta a partir de hoje no Oi Futuro.