CCBB abre exposição de mestre da Art Nouveau

A maior coletânea do tcheco AIphonse Mucha exibida no Brasil

...
Credit......

Munidos de máscaras (pelo menos duas, para trocar durante a visita longa), cordão com álcool gel pendurado no pescoço, manter distância de outros visitantes: todos estes cuidados típicos de 2020 valem a pena para apreciar a primeira exposição do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) depois de decretada a quarentena. No dia 18 de novembro será aberta a exposição AIphonse Mucha: o legado da Art Nouveau.
São 100 obras cedidas pela Fundação Mucha, a maior coletânea do mestre tcheco exibida no Brasil, com o patrocínio da BB DTVM (Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários do Banco do Brasil).

Macaque in the trees
Alphonse Mucha no ateliê (Foto: Divulgação)


Quatro ambientes
A curadoria de Tomoko Sato e Ania Rodriguez divide a mostra em quatro temas: Mulheres, ícones e musas; o Estilo Mucha - uma linguagem visual e beleza; Epopéia eslava e a quarta parte, o Legado do estilo Mucha.
Interessante notar que Mucha produziu desde cartazes para espetáculos de Sarah Bernhardt até anúncios de cerveja e caixas de biscoitos.

Para Tomoko Sato “o estilo Mucha se caracteriza pela imagem de belas mulheres em poses elegantes, dispostas em composições harmoniosas com flores e outros motivos decorativos que remetem à natureza. Esses recursos se tornaram elementos-chave do estilo Art Nouveau, reaparecendo na década de 1960 e inspirando novas gerações de artistas em todo o mundo - de designers gráficos ‘psicodélicos’ dos anos 60 a artistas japoneses de mangá da década de 1970 em diante”, completa a curadora.

O acervo pode ser conferido entre segunda e quarta, das 9h às 17h. O acesso é grátis, limitado e exige agendamento prévio. “Disseminar a arte oferecendo acesso gratuito à população é o que nos motiva a viabilizar projetos de grande valor cultural, como a exposição de Alphonse Mucha no CCBB RJ”, afirma Carlos André, presidente da BB DTVM.

O Legado do Estilo Mucha, última e imperdível seção da mostra, reúne artistas inspirarados pelo trabalho deste ícone da Art Nouveau. Artistas gráficos de Londres e São Francisco utilizaram o traço característico de Mucha para refletir a cultura emergente do rock psicodélico. Na Ásia, a cultura do mangá revela uma apropriação do estilo Mucha. Do Japão, destaque para Nanase Ohkawa, Mokona, Tsubaki Nekoi e Satsuki Igarashi, fundadoras do grupo CLAMP e autoras de títulos como Cardcaptor Sakura e as Guerreiras Mágicas de Rayearth. Representando a Coreia do Sul, a mostra traz desenhos de Ko Yasung, ilustrador das HQs Stigmata e The Innocent; Rhim Ju-yeon, conhecido pelos títulos President Dad e Ciel: The Last Autumn Story.

Protocolos
Em razão da pandemia o CCBB estabelece normas de visitação. Na entrada haverá aferição de temperatura, que deve ficar abaixo dos 37,5 graus. Máscaras só serão dispensadas para crianças até 03 anos, pessoas com transtornos do espectro autista, deficiências intelectuais ou sensoriais, conforme declaração médica. Marcações no piso orientarão o distanciamento de dois metros entre as pessoas.
A visita dura uma hora e meia, a partir do horário de agendamento, que deve ser feito pelo site www.eventim.com.br

A entrada deve ser pela Avenida Presidente Vargas e saída pela rua Primeiro de Março. Prefiram as escadas, porque os elevadores comportarão apenas o ascensorista e uma pessoa por vez, com exceção daqueles que precisem de acompanhante. Os bebedouros serão lacrados, as tomadas, desativadas e o guarda-volumes, fechado. Malas ou bolsas com dimensões maiores do que 50cm x 60cm não são permitidas nas salas. Os banheiros terão limitação de capacidade e não será permitido sentar no chão.
Vale seguir todas estas precauções, para admirar a obra de Alphonse Mucha e se encantar com as versões dos artistas gráficos desde os anos 1960.

Macaque in the trees
Cartaz para a peça Dama das Camélias, com Sarah Bernhardt (Foto: Divulgação)

Macaque in the trees
Imagem da Bela com a Pluma para o Salon des Cent, em 1896 (Foto: Divulgação)

Macaque in the trees
Ilustração sobre a dança (Foto: Divulgação)


Macaque in the trees
Retrato de Sarah Bernhardt (Foto: Divulgação)

Macaque in the trees
Cartaz para a peça Lorenzaccio, de Musset, no Theatre de la Renaissance (Foto: Divulgação)



...
Alphonse Mucha no ateliê
Cartaz para a peça Dama das Camélias, com Sarah Bernhardt
Imagem da Bela com a Pluma para o Salon des Cent, em 1896
Ilustração sobre a dança
Retrato de Sarah Bernhardt
Cartaz para a peça Lorenzaccio, de Musset, no Theatre de la Renaissance